Mulheres em situação de violência devem procurar o Ligue 180

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

(SPM – 12/01/2016) O Ministério da Educação (MEC) informou, nesta segunda-feira (11/01), que em meio às 5,5 milhões de redações corrigidas sobre a violência contra a mulher no Brasil, escritas por alunos que prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2015, inúmeros textos alertaram a equipe de examinadores por conter relatos vívidos de agressão e assédio.

O ministro da Educação disse que 55 redações chamaram a atenção dos avaliadores pelo teor. “Nós verificamos em muitas redações depoimentos muito preocupantes de pessoas que foram assediadas, estupradas ou testemunhas de casos de violência. Em muitos destes casos a violência está muito próxima. A redação foi um grande momento de reflexão não só para os participantes, mas para toda sociedade”, disse Mercadante.

Leia também:
Dilma pede que mulheres denunciem agressão (EBC – 12/01/2016)

Diante desta situação, o Ministério da Educação foi orientado pelo Ministério Público Federal a divulgar os canais institucionais de proteção à mulher: Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 e a Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher que conta com mais de 1.300 serviços especializados, como delegacias da mulher (Deams), juizados, defensorias, promotorias, centros de referência e casas de abrigo. As cidades de Brasília e Campo Grande já contam com Casas da Mulher Brasileira que realizam atendimento integral e humanizado das mulheres em situação de violência.

A Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos reafirma a importância das mulheres em situação de violência de procurarem a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180. O serviço está estruturado para atender as denúncias de violências praticadas contra as mulheres em todo o país e de brasileiras residentes em mais 16 países da América e Europa (Argentina, Bélgica, Espanha, EUA (São Francisco), França, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela).

A Central funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive finais de semana e feriados. Desde março de 2014, o Ligue 180 atua como disque-denúncia, com capacidade de envio de denúncias para a Segurança Pública com cópia para o Ministério Público de cada estado.

O Ligue 180 é um serviço de utilidade pública, gratuito e confidencial, pois preserva anonimato das vítimas e dos denunciantes, e é oferecido pela SPM desde 2005. A Central recebe denúncias de violência, reclamações sobre os serviços da rede de atendimento à mulher e orienta sobre os direitos e sobre a legislação de proteção à mulher, fazendo o encaminhamento para outros serviços quando necessário.

Acesse no site de origem: Mulheres em situação de violência devem procurar o Ligue 180 (SPM – 12/01/2016)