Músicas sobre a Lei Maria da Penha são premiadas e ganham videoclipes em concurso do Banco Mundial (ONU/BR – 24/03/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Concurso recebeu 190 composições e escolheu as cinco melhores para a gravação de videoclipes que vão conscientizar a população brasileira sobre a luta contra a violência doméstica e de gênero. Assista aos vídeos aqui.

Para celebrar a luta contra a violência doméstica e conscientizar a população brasileira a respeito da discriminação de gênero, o Banco Mundial realizou um concurso musical sobre a Lei Maria da Penha.

A iniciativa recebeu 190 composições e escolheu cinco canções vencedoras que foram premiadas com a gravação de videoclipes, divulgados na segunda-feira (21). Outras 15 músicas inscritas foram contempladas e gravadas num CD junto com as campeãs.

O projeto foi fruto de uma parceria do Banco Mundial Brasil com o Congresso Nacional, além de contar com o apoio da ONU Mulheres.

Rock, samba, rap e outros ritmos embalam letras sobre a legislação brasileira considerada uma das mais completas do mundo para combater a violência contra a mulher. Em 2016, a Lei Maria da Penha comemora 10 anos de vigência.

As canções do concurso mostram que a música também pode ser um espaço de resistência à discriminação e à violência, em vez construir uma imagem negativa da mulher, como fazem tantas obras musicais brasileiras que naturalizam as agressões de gênero. O Brasil é o 5º país com o maior índice de feminicídio no mundo.

“Maria da Penha me inspirou com sua persistência. Todas nós recebemos um imenso presente por ela não ter desanimado”, disse a compositora do rap “Em uma Só Voz”, Lidiane de Jesus

Em outras canções, os autores e autoras das músicas abordam direta e explicitamente o tema da violência contra a mulher. São os casos do rap “Lei Maria da Penha”, das DJs Luana Hansen e Drika Ferreira, e do rock “Ligue 180” – uma referência ao número nacional que recebe denúncias de agressões contra a mulher –, da cantora Fernanda Azevedo.

“Me coloquei no lugar da mulher que sofre violência e a inspiração veio de uma maneira muito forte”, contou Fernanda.

Já o samba “Maria da Penha”, de Juraildes da Cruz e João Araújo, conta a história de uma esposa submissa, que sofre nas mãos de um marido bêbado e machista. A narrativa, porém, tem um final feliz, mostrando o homem punido pela Lei.

Acesse no site de origem: Músicas sobre a Lei Maria da Penha são premiadas e ganham videoclipes em concurso do Banco Mundial (ONU/BR – 24/03/2016)