Nota de repúdio à declaração de professor em Curitiba por reforçar machismo e incitar a violência (SPM/Segov – 25/09/2017)

A Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SPM/SEGOV) e o Conselho Nacional dos Direitos das Mulheres (CNDM) vêm a público repudiar as declarações dadas em sala de aula pelo professor Victor Eduardo Leão, no dia 02/09/2017, para alunos em Curitiba (PR).

Com ironia, o professor debocha da Lei Maria da Penha, afirma que mulheres gostam de apanhar e incita a violência.

“Gosta de apanhar, ou não? levar uns murros na cara de vez em quando? Uma joelhada, não gosta? Quebrar umas costelas, não gosta? Mulher gosta de apanhar. Mulher gosta de levar porrada, não é verdade?”

As declarações estão em um vídeo que circula nas redes sociais na internet.

Nós, que representamos os órgãos de defesa dos direitos das mulheres e que lutamos todos os dias por uma sociedade sem violência contra as mulheres e mais igualitária em direitos de gênero, não podemos permitir que um profissional, com dever que de formar cidadãos, seja autor de afirmações que reforçam o machismo e incitem a violência. Ainda que tente se abrigar sob o manto de “brincadeirinha”. Nao pode.

As palavras do professor reforçam a violência que atinge milhares de mulheres todos os anos.

Somente no Brasil, a cada dia, 13 mulheres são assassinadas, em média. Apenas com a promoção da igualdade entre mulheres e homens e o enfrentamento a todas as formas de violência é que vamos combater, efetivamente, essas mortes.

Fátima Pelaes 
Secretaria de Políticas para as Mulheres e presidente do CNDM

Acesse no site de origem: Nota de Repúcio (SPM/Segov – 25/09/2017)