ONG vai acompanhar Pacto pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher no RS (Agora/RS – 19/04/2014)

A Secretaria de Políticas para as Mulheres do Rio Grande do Sul (SPM-RS) e o Coletivo Feminino Plural firmaram o contrato de prestação de serviços para a elaboração e acompanhamento do Planejamento Integral Básico do RS, referente ao Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher. O plano é formado por diversas ações que devem ocorrer nos próximos seis meses.

Autoridades se reunem para elaborar e acompanhar o Planejamento Integral Básico do RS (Foto: Divulgação GE)

Autoridades se reunem para elaborar e acompanhar o Planejamento Integral Básico do RS (Foto: Divulgação GE)

Para a secretária Ariane Leitão, a elaboração do Planejamento Integral Básico do RS materializa as diretrizes para a implementação das políticas públicas para as mulheres no Estado. “Consolidaremos assim dados conectados também com a política nacional direcionada às mulheres”, afirmou.

Dentre as atividades previstas no contrato, estão a apresentação de um diagnóstico da situação atual, contendo a sistematização do material das Conferências de Políticas para as Mulheres, oficinas de capacitação da equipe da Secretaria de Políticas para as Mulheres e a entrega de um relatório impresso do planejamento integral do Rio Grande do Sul.

O contrato foi assinado no gabinete da SPM pela secretária Ariane Leitão e pela coordenadora do Coletivo Feminino Plural, Telia Negrão Tonhozi. Telia Negrão disse ser de extrema importância tanto a análise dos dados necessários para a elaboração do plano quanto do material que será originado por ele. “Além disso, é um trabalho desafiador, e já nos proporcionará fazer uma revisão e a avaliação das políticas já implementadas, bem como das lacunas existentes no Estado, para aprimorarmos o trabalho que a SPM já vem desenvolvendo”, avaliou.

O Pacto
O Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres é um acordo federativo entre as três esferas de governo que impulsiona políticas públicas integradas no território nacional. Prevê a implementação de políticas públicas amplas e articuladas, direcionadas prioritariamente às mulheres rurais, negras e indígenas que vivem em situações de violência em razão de sua maior vulnerabilidade social. O pacto define um conjunto de ações e metas em diversas áreas, como educação, assistência social, segurança, trabalho, saúde, entre outras.

Acesse no site de origemPacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher (Agora/RS – 19/04/2014)