ONU: 1º Dia Internacional para Eliminação da Violência Sexual em Conflito (Rádio ONU – 19/06/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Crime afeta crianças, mulheres e homens e é usado como tática de guerra; em mensagem para marcar a data, secretário-geral das Nações Unidas lembra sequestro de mais de 200 meninas em escola na Nigéria pelo grupo terrorista islâmico, Boko Haram.

As Nações Unidas assinalam neste 19 de junho o Dia Internacional para Eliminação da Violência Sexual em Conflito.

O crime afeta todas as partes do mundo fazendo vítimas crianças, homens e mulheres.

Centro de Saúde Infantil na Somália durante visita de representante especial da ONU sobre Violência Sexual em Conflito (Foto: Toby Jones, 2013)

Centro de Saúde Infantil na Somália durante visita de representante especial da ONU sobre Violência Sexual em Conflito (Foto: Toby Jones, 2013)

Comunidades

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, emitiu uma mensagem lembrando que a violência sexual é reconhecida, amplamente, como uma tática deliberada para a destruição do tecido social.

Além disso, ela é usada para intimidar comunidades inteiras a fugirem de suas casas.

Ban recordou o caso do sequestro de mais de 200 meninas de uma escola em Chibok, na Nigéria, pelo movimento terrorista islâmico, Boko Haram, em 2014.
Para a ONU, a violência sexual em conflito representa uma ameaça à paz e à segurança internacionais.

Impunidade

Ban ressaltou as sentenças a líderes civis e militares, que permitiram o crime em seus territórios durante conflitos, sinalizando que a era de impunidade para este tipo de crime acabou.

O secretário-geral elogiou o papel de trabalhadores humanitários, pessoal de saúde e outros agentes que se dedicam às vítimas e que lutam por mudanças.
Ele citou ainda o caso do grupo Daesh, também conhecido como Isil, que lança mão da violência sexual como meio para atrair e manter combatentes, além de gerar receita para suas operações terroristas.

Ban falou dos casos de meninas e mulheres vivendo como escravas sexuais ou forçadas a casamento prematuros por grupos extremistas no Oriente Médio.

Destruição

Ele garantiu que as Nações Unidas continuará denunciando o casos de meninas e meninos, homens e mulheres cujos corpos há muito tempo servem como despojos de guerra.

Já a representante especial do secretário-geral sobre o tema, Zainab Bangura, afirmou que a violência sexual imposta pelo grupo terrorista Isil no Iraque não tem como objetivo somente espalhar o terror, mas também a intenção sistemática de destruir.

Bangura disse que a mensagem para os autores destes crimes é clara: a justiça pode demorar mas não vai falhar. Ela emitiu um comunicado conjunto sobre o Dia Internacional com o chefe da Missão da ONU no Iraque, Unami, Jan Kubis.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Acesse no site de origem: ONU: 1º Dia Internacional para Eliminação da Violência Sexual em Conflito (Rádio ONU – 19/06/2016)