Operação combate violência contra a mulher na Região Metropolitana (Rádio Guaíba – 10/06/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Polícia Civil (PC) cumpre, na manhã desta quarta-feira, sete mandados de busca e apreensão em Gravataí e Cachoeirinha. A ação, que conta com a presença de 25 agentes, é coordenada pela delegada Marina Machado Dillenburg. Todos os crimes ocorreram em Gravataí. O objetivo da operação é apreender armas que são utilizadas para ameaçar as mulheres. A operação foi denominada de Hátor, que é a deusa do céu, do amor, das mulheres e da beleza feminina.

Conforme a delegada Marina, em Gravataí, dois bairros são alvo da operação: Parque dos Anjos e Passo das Pedras. “A nossa intenção é tirar de circulação armas que podem levar ao feminicídio. É uma prevenção de futuras ameaças e mortes. Não se trata apenas de apreender o armamento, até porque se encontramos o homem suspeito sem permissão para usar a arma, ele é preso”, explicou em entrevista ao site do Correio do Povo.

Marina afirmou ainda que a atuação dos policiais nestes casos é delicada e depende de autorização da Justiça. “Recebemos diversos relatos de ameaças, mas não podemos iniciar a investigação sem a permissão do Judiciário. Às vezes recebemos casos em que mulheres descrevem a violência doméstica com uso de arma, mas quando vamos investigar descobrimos que o suspeito usou uma arma branca. Claro que estas ocorrências não passam despercebidas por nós”, esclareceu.

Segundo a delegada, os policiais que atuam em delegacias da mulher já têm uma ideia dos bairros e dos locais onde mais ocorrem ameaças. “Pelo número de casos que acompanho, é possível dizer que de 10 ameaças, cinco são com arma de fogo. A nossa investigação não demora muito e a nossa intenção é concluir os inquéritos o mais rápido possível para que estas mulheres fiquem protegidas. Queremos mostrar que estamos presentes e atentos à violência contra a mulher”, observou Marina.

Marina disse que as medidas protetivas, solicitadas por mulheres que são vítimas de violência doméstica, são feitas antes das investigações da polícia. “As nossas operações também ocorrem até para verificar se estas medidas estão sendo cumpridas”, completou.

Acesse no site de origem: Operação combate violência contra a mulher na Região Metropolitana (Rádio Guaíba – 10/06/2015)