Palestra em rede aborda violência familiar em 45 comarcas baianas ao mesmo tempo (TJBA – 12/05/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Pela primeira vez na Justiça baiana, e possivelmente no Brasil, 45 juízes de uma só vez se utilizam do conceito de ‘sociedade em rede’ para promover palestras simultâneas em 45 comarcas do interior baiano. A iniciativa, programada para esta quarta-feira (13), é dos juízes substitutos da turma de 2013.

Extensão da Campanha Justiça pela paz em casa, desenvolvida sob a coordenação do Supremo Tribunal Federal, a atividade organizada pelos novos magistrados foi saudada como “uma ótima ideia” pela desembargadora Nágila Maria Sales Brito, responsável pela Coordenadoria da Mulher do tribunal.

Para a desembargadora Nágila, a realização da primeira palestra em rede, tendo como tema a violência doméstica e familiar contra a mulher, terá seus efeitos multiplicados por todo o interior baiano, pois vai alcançar comunidades carentes de todas as regiões do Estado.

Segundo o juiz José Ayres de Souza Nascimento, da comarca de Pindobaçu, na região Norte do Estado, os magistrados vão demonstrar a necessidade de respeitar a mulher: “Muitas vezes por falta de cultura ou machismo, devido à extrema pobreza, alcoolismo e outros problemas, o cidadão é desinformado”.

Bacharel em Direito pela Universidade Católica do Salvador, e especializado em direito empresarial e tributário, o juiz José Ayres está em Pindobaçu desde outubro de 2013 e já tem sentenciado infratores a pena de reclusão prevista na Lei Maria da Penha, que trata especificamente de crimes contra a mulher.

Geração digital
Outro palestrante é o juiz de Muritiba, no Recôncavo, Josué Teles Bastos Júnior. “Nosso objetivo é levar até 500 pessoas ou mais ao auditório do Centro Espírita Fraternidade e Trabalho”, disse. As palestras de juiz Josué e seus colegas terão duração de 1h30, e serão realizadas entre 9 horas e 10h30 de quarta (13).

A juíza de Encruzilhada, no Sudoeste, Janine Soares de Matos Ferraz, uma das organizadoras do grupo, informou que, entre os objetivos específicos, estão a manutenção e ampliação dos efeitos da campanha, bem como mostrar que o combate à violência doméstica vem sendo feito de maneira integrada e estratégica.

Os magistrados operam com o conceito de sociedade em rede, característico da geração digital, devido à influência da internet no comportamento. Para tanto, utilizam-se frequentemente da comunicação instantânea em rede social com os 100 novos juízes.

Em Santo Antônio de Jesus, a juíza Maria Claudia Salles Parente apoiou-se na força de divulgação massiva do rádio entre as comunidades de baixa renda e divulgou a palestra em rede nas emissoras. “De cada três baianas, uma é vítima de violência. Precisamos mudar esta situação”, disse.

O auditório do Colégio Luís Eduardo Magalhães será o local da palestra em Santo Antonio. Além de sensibilizar homens e mulheres para a questão, a juíza vai informar onde a vítima de violência deve dirigir-se para proteger sua vida, caso esteja ameaçada.

Além das 45 palestras, outras seis acontecem em dias alternados, em razão de compromissos assumidos pelos juízes anteriormente. Eis a relação completa dos juízes que participam do grupo online da nova magistratura baiana:

– Adriana Pastorele da Silva Quirino Couto, de Cândido Sales
– Andrea Neves Cerqueira, de Piatã
– Antonio Carlos do Espírito Santo Filho, de Caculé
– Antonio Santana Lopes Filho, de Ubaíra
– Carla Santa Bárbara, de Euclides da Cunha
– Catucha Moreira Gidi, de Barra do Mendes
– Cecília Angélica de Azevedo Frota, de Coribe
– Cesar Augusto Carvalho de Figueiredo, de Iaçu
– Daniel Pereira Pondé, de Paulo Afonso
– Danilo Augusto de Araújo França, de João Dourado
– Fabiano Freitas Soares, de Bom Jesus da Lapa
– Fabio de Oliveira Cordeiro Remonato, de São Francisco do Conde
– Felipe Antonio Sales Abreu, de Uauá
– Francisco Moleda de Godoi, de Formosa do Rio Preto
– Gabriela Santana Nunes, de Rio do Ouro
– Gleison dos Santos Soares, de Paramirim
– Gustavo Teles Veras Nunes, de Cachoeira
– Ivonete de Sousa Araújo, de Morro do Chapéu
– Janine Soares de Matos Ferraz, de Encruzilhada
– José Ayres de Souza Nascimento, de Pindobaçu
– Josué Teles Bastos Júnior, de Muritiba
– Karina Silva de Araújo, de Itabela
– Leandra Leal Lopes, de Camacã
– Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque, de Mundo Novo
– Leonardo Rulian Custódio, de Candeias
– Letícia Fernandes Silva Freitas, de Macaúbas
– Liana Teixeira Dumet, de Taperoá
– Livia de Oliveira Figueiredo, de Medeiros Neto
– Lisiane Sousa Alves Duarte, de Serrinha
– Louise de Melo Cruz Diamantino Gomes, de Itiúba-
– Marcela Bastos Barbalho Nogueira, de Santaluz
– Marco Aurélio Bastos de Macedo, de Teofilândia
– Maria Cláudia Salles Parente, de Santo Antônio de Jesus
– Matheus Martins Moitinho, de Chorrochó/Abaré
– Mauricio Alvares Barra, de Una
– Natanael Ramos de Almeida Neto, de Camamu
– Paulo Ramalho Pessoa de Andrade Campos Neto, de Tucano
– Pedro Paulo Falcão Junior, de Serra Dourada
– Pedro Silva e Silvério, de Urandi
– Rafael Barbosa da Cunha, de Sento Sé
– Rafaele Curvelo Guedes dos Anjos, de Pilão Arcado
– Reinaldo Peixoto Marinho, de Ibirataia
– Renata Guimarães da Silva Firme, de Wenceslau Guimarães
– Rodrigo Souza Britto, de Tanhaçu
– Ruy José Amaral Adães Júnior, de Xique-Xique/Central
– Sadraque Oliveira Rios, de Amélia Rodrigues
– Teomar Almeida de Oliveira, de Jacaraci
– Tathiana Freitas de Paiva Macedo, de Santana
– Thielly Dias de Alencar Pithan, de Carinhanha
– Valnei Mota Alves de Souza, de Miguel Calmon
– Tadeu Cardoso Santos, de Condeúba

Ascom TJBA

Acesse no site de origem: Palestra em rede aborda violência familiar em 45 comarcas baianas ao mesmo tempo (TJBA – 12/05/2015)