Palestra esclarece infratores da Lei Maria da Penha sobre desafios do mercado de trabalho (TJCE – 30/08/2013)

Palestra busca orientar reinserção dos agressores na sociedade (Foto: Rodrigo França/ TJCE)

Palestra busca orientar reinserção dos agressores na sociedade (Foto: Rodrigo França/ TJCE)

Infratores da Lei Maria da Penha assistiram, nesta sexta-feira (30/08), à palestra da psicóloga Lara Siebra sobre “Mercado de trabalho: desafios e perspectivas”. O encontro, promovido pelo Núcleo de Atendimento ao Homem Autor de Violência Doméstica contra a Mulher (Nuah), aconteceu no Fórum Clóvis Beviláqua.

A palestrante é coordenadora de Recursos Humanos da indústria de materiais elétricos Romazi. Para ela, o convite é uma oportunidade de contribuir com a reinserção social dos apenados, já que muitos não se consideram infratores. “Eles precisam de apoio para entenderem que a violência contra a mulher é um delito como outros”, disse.

Com larga experiência sobre o assunto, a psicóloga abordou atitudes e valores esperados de funcionários que almejam construir carreira em empresas.

OFICINAS SOCIOEDUCATIVA

A palestra foi a nona oficina socioeducativa do Nuah. Os encontros (mensais) são voltados a apenados com limitações de tempo para serem atendidos por psicólogos, assistentes sociais e advogados do Núcleo.

Os assistidos têm aprovado a iniciativa. “As palestras são importantes porque você passa a ter conhecimento sobre muitas coisas, como leis e prejuízos do álcool e das drogas”, disse o técnico em telefonia G.S.B. O operador de máquinas F.R.F.G. também elogiou. “As pessoas procuram nos ajudar. E, para a gente que passa por tanta coisa, isso já é um conforto”.

O Nuah é um projeto da Vara de Penas Alternativas de Fortaleza em parceria com a Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará (Sejus) e o Ministério da Justiça. Os assistidos são encaminhados pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Capital.

Acesse no site de origem: Palestra esclarece infratores da Lei Maria da Penha sobre desafios do mercado de trabalho (Foto: TJCE – 30/08/2013)