Palestras sobre Lei Maria da Penha conscientizam estudantes no combate à violência contra a mulher (DPMS – 22/08/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Dando continuidade ao calendário de atividades do “Agosto Lilás”, a Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul realizou mais uma palestra “Maria da Penha vai às Escolas” para alunos dos nonos anos do Ensino Fundamental e primeiros anos do Ensino Médio da Escola Estadual Padre José Scampini, no Bairro Cophavilla II, em Campo Grande.

O projeto propõe palestras informativas aos alunos da rede estadual de ensino da Capital, promovendo a reflexão sobre a violência contra a mulher, além de levar orientações sobre como combater a agressão às jovens e meninas.

capa

Na sexta-feira (19), a psicóloga do Núcleo Institucional de Proteção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), Keila de Oliveira Antônio, falou para cerca de 120 adolescentes, de 14 a 16 anos, sobre questões de gênero, os diversos tipos de violência, entre elas a psicológica e a patrimonial, e feminicídio.

A coordenadora pedagógica das séries que assistiram à palestra, Deir Corrêa Pinheiro, conta que, apesar dos professores e coordenadores estarem sempre atentos e abertos ao diálogo, a procura por ajuda é praticamente inexistente.

“A nossa escola é bem tranquila, estou aqui há 19 anos e posso afirmar isso, mas sei que ela é uma exceção. Esse tipo de atividade é importante para difundir conhecimentos, o que auxilia na prevenção”, afirmou.

Para a psicóloga do Nudem e palestrante, Keila de Oliveira Antônio, a educação é uma das ferramentas que colaboram com o enfrentamento da violência contra a mulher.

“A sociedade não quer ver a lei só punindo a violência que já foi praticada, quer também prevenir e evitar que essa violência aconteça novamente. Nesse contexto, os adolescentes são o alvo das nossas ações, uma vez que temos como explicar como o ciclo da violência acontece, que nem sempre a violência é só física. E eu percebi, à medida que eu fui dando exemplos práticos de como um namorado ou uma namorada costuma agir dentro do ciclo da violência, que muitos se reconheceram e se viram nas mesmas situações”, explicou a psicóloga.

Agenda

Na próxima segunda-feira (29), a defensora pública e coordenadora do Nudem Edmeiry Silara Broch Fest fará a palestra para os alunos da Escola Estadual Adventor Divino de Almeida, no Bairro Vila Alba, em Campo Grande.

A Lei

Apesar da aprovação da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/06) em 2006, entre 2007 e 2013 as taxas de homicídio feminino cresceram 23% no país, sendo as mulheres negras as vítimas preferenciais. Os dados são do Mapa da Violência contra as Mulheres de 2015, elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Estudos Sociais. Segundo o mapa, 13 assassinatos diários de mulheres foram cometidos em 2013, sendo sete feminicídios. Destes, quatro teriam sido cometidos pelo próprio parceiro ou ex-parceiro da vítima.

Agosto Lilás

Lançada no dia 1º de agosto, a campanha, coordenada pela Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, pasta vinculada à Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), tem como objetivo sensibilizar a sociedade sobre a violência contra mulheres e conta com diversos parceiros, entre eles Secretaria de Estado de Educação (SED), Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Delegacia Especializada de Atendimento às Mulheres (DEAM), Coletivo de Mulheres Negras, Associação de Mulheres com Deficiência (AMDEF), Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul (ALMS), Cassems, Sebrae, entre outros.

Bianca Bianchi

Acesse no site de origem: Palestras sobre Lei Maria da Penha conscientizam estudantes no combate à violência contra a mulher (DPMS – 22/08/2016)