Paraíba registra mais de 100 estupros por ano e já contabiliza 621 só nos últimos seis (PB Agora – 01/06/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Estarrecedor. Há uma semana o Brasil ficou chocado com a notícia dando conta de que uma adolescente de 16 anos teria sido estuprada por 30 rapazes. As imagens do estupro coletivo veiculadas nas redes sociais tem mobilizado discussões em todo o país e gerado repúdio. Na Paraíba, os casos de estupros não são raros.

O crime mais brutal e chocante acontece na madrugada de 12 de fevereiro de 2012, , no município de Queimadas, agreste paraibano, a 130 quilômetros da capital João Pessoa, quando dez homens estupraram cinco mulheres durante a festa de aniversário. Segundo o inquérito da Polícia Civil, durante a festa a casa foi invadida pelo portão da frente por um grupo de dez homens mascarados e encapuzados, três destes menores de idade, que rendeu os convidados e estuprou cinco das sete mulheres presentes. Duas das vítimas foram assassinadas.

Esta semana, a Organização Não Governamental (ONG) e Centro da Mulher 8 de Março de João Pessoa, que acompanha mulheres vítimas de violência, divulgaram um relatório que mostram dados estarrecedores.

Segundo o relatório, a cada mês, sete pessoas são vítimas de estupro no estado da Paraíba. Conforme dados coletados pela ONG, entre o início de 2010 e maio de 2016, foram registrados 621 estupros em todo o Estado.

De acordo com a coordenação do Centro, apesar dos números registrados já serem preocupantes, o número real de estupros é ainda maior, pois nem todas as vítimas procuram a polícia após os crimes. O levantamento feito pela ONG mostra que nestes seis anos, foram estupradas 189 mulheres adultas, 168 adolescentes de 13 a 17 anos e 199 crianças de até 12 anos. O G1 solicitou os dados registrados pela Secretaria de Segurança do Estado da Paraíba (Sedes), mas, até o fechamento desta reportagem, a demanda não foi respondida.

Ainda segundo a ONG, em 2010 foram registrados 130 estupros, em 2011 ocorreram 104, em 2012 foram 108, em 2013 mais 98, no ano de 2014 ocorreram 71 casos e nos 11 primeiros meses de 2015 mais 45. Mesmo com a redução dos números aos longo dos, a coordenadora do Centro 8 de Março, Irene Marinheiro, acredita que os crimes podem estar voltando a ocorrer de maneira silenciosa, o que ser torna mais perigoso para as vítimas, além de dificultar o trabalho de combate. Ainda segundo o 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública 65% dos casos de estupros não são notificados.

“O fato dos números terem reduzido não quer dizer que as mulheres estão deixando de ser violentadas, mas sim que os casos não estão sendo registrados. Muitas vezes as vítimas passam anos sofrendo os abusos e não denunciam por serem ameaças e pelo medo do preconceito que infelizmente ainda existe contra pessoas que sofrem abuso”, explica a coordenadora.

Segundo o Centro 8 de Março, 70% dos casos de estupros são praticados por pessoas da família, sendo pais, padastros, irmãos, primos, além de amigos próximos da família.

Casos registrados em 2016:
Aroeiras 1
Barra de Santana 1
Caiçara 1
Campina Grande 21
Conde 1
Cubati 2
Guarabira 2
Itabaiana 1
João Pessoa 29
Mamanguape 2
Pedras de Fogo 1
Queimadas 1
Riacho dos Cavalos 1
Rio Tinto 3
Santa Helena 1
Santa Rita 2
S. S. Lagoa de Roça 1
Sapé 1

Acesse no site de origem: Paraíba registra mais de 100 estupros por ano e já contabiliza 621 só nos últimos seis (PB Agora – 01/06/2016)