Primeira delegada da Mulher promove debate sobre violência em Jundiaí (JJ – 15/05/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A cada sete minutos, uma mulher é violentada no Brasil. Os dados são da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e estarão no centro da discussão do evento promovido pela Frente de Combate à Violência contra as Mulheres, neste segunda-feira (16), às 19h, na Câmara Municipal de Jundiaí.

O encontro terá a presença da titular da primeira Delegacia em Defesa da Mulher criada no Brasil, Rosmary Côrrea, hoje presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina e gestora executiva do Pacto Nacional pelo Enfrentamento da Violência contra a Mulher. Atualmente, esse trabalho se estende por cerca de
130 unidades instaladas em todas as regiões do Estado de São Paulo. Estarão presentes no encontro ainda a Defensora Pública, Nádia Taffarello, e a titular da DDM de Jundiaí, Lígia Capelette Basile Bonito.

Dez anos – No ano que a Lei Maria da Penha completa uma década, Jundiaí cria uma Frente de Combate à Violência e chama a sociedade para a discussão. Segundo Rosmary, a criação da DDM foi uma grande conquista: em 1995 foram implantados os juizados especiais criminais, e 90% dos casos da delegacia acabaram indo para os juizados que não tinham uma estrutura sigilosa para tratar de uma questão delicada como a violência contra a mulher. “Nessa época, o pagamento de penas por violência reduziu-se a praticamente uma cesta básica. Já em 2006 foi sancionada a Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha, que traria uma esperança para as mulheres. A lei estabelece medidas de proteção em favor da mulher”, salienta.

Em Jundiaí, o desafio de comandar a DDM esteve, por 20 anos, nas mãos de Fátima Giassetti.”A Lei Maria da Penha completa, em agosto deste ano, uma década. Hoje, somos a maioria em Jundiaí e não podemos permitir que um crime tão bárbaro possa continuar fazendo vítimas”, alerta.”Não
podemos fechar os olhos para uma realidade que, embora difícil de ser admitida, está aí com números que só crescem”, reforça Taffarello.

Acesse no site de origem: Primeira delegada da Mulher promove debate sobre violência em Jundiaí (JJ – 15/05/2016)