Pro Paz já atendeu quase 25 mil crianças, adolescentes e mulheres vítimas de violência no Pará (Agência Pará – 18/05/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Por conta do Dia Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual, comemorado nesta segunda-feira (18), a Fundação Pro Paz divulga suas estatísticas sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes em todo o Estado, assim como a violência contra a mulher. O Pro Paz Integrado (PPI), um dos projetos que integram a Fundação Pro Paz atendeu, de 2004 a março deste ano, um total de 24.679 pessoas, entre crianças, adolescentes e mulheres vítimas de diversas formas de violência.

Do total de atendimentos, 12.727 são crianças e adolescente vítimas de diversas formas de violência, principalmente a sexual, e 11.952 são mulheres atendidas pelo projeto Pro Paz Mulher, com sede na Região Metropolitana de Belém (RMB) e nos núcleos descentralizados para o interior. Somente de janeiro a março de 2015, o PPI já atendeu 1.799 pessoas em situação de violência, das quais 380 são crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual em todo o Estado.

Por meio de núcleos localizados na RMB e interior, localizados nas cidades de Santarém, Bragança, Paragominas, Tucuruí e Altamira, o que garante acolhimento tanto de crianças, adolescentes e mulheres em todo o Pará, o Pro Paz oferece atendimento psicossocial, de saúde, pericial e de investigação policial em parceria com a Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e o Adolescente (Deaca) e Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

O PPI ainda conta com o apoio da Rede de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes no Pará, que reúne várias entidades como secretarias de Estado, conselhos tutelares e órgãos de justiça.

Nos seus 10 anos de atuação, já foram acolhidas 9.347 pessoas no Núcleo da Santa Casa de Misericórdia do Pará (que atende somente casos de violência sexual); 5.695 no Núcleo Regional de Santarém; 3.463 no Núcleo do Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” (que atende todos os tipos de violência contra crianças e adolescentes); 3.298 mulheres na unidade especializada do Pro Paz Mulher/ Deam, na capital paraense; 1.101 no Núcleo Regional de Bragança; 777 no Núcleo Regional de Tucuruí; 500 no Núcleo Regional de Altamira e 494 no Núcleo Regional de Paragominas.

Ainda este ano, a Fundação Pro Paz ampliará seus serviços às regiões do Marajó e Carajás, com os Núcleos Regionais de Breves e Parauapebas, que devem ser iniciados no segundo semestre deste ano. Com a inauguração dos dois novos núcleos, o PPI chegará a todas as regiões do Pará, incluindo as já atendidas como os núcleos do Baixo Amazonas, Salgado, Lago, Xingu e Capim.

Nesses 10 anos, com base nos casos denunciados no PPI, os números mostram que o agressor de violência sexual não possui perfil único. De acordo com as estatísticas da Fundação Pro Paz, 85,5% dos agressores são pessoas conhecidas ou que fazem parte do meio familiar e 56,3% pertencem de alguma forma ao núcleo das famílias das vítimas.

Entre eles estão pessoa conhecida (15,0); pessoa desconhecida (14,5); vizinho (10,9); padrasto (10,4); namorado (10,1); tio (8,8); pai biológico (8,3); primo (7,4); avô (5,5); amigo da família (2,1); professor (1,4); irmão (1,2); colega de escola (1,0); ex companheiro (0,5); mãe (0,4); cunhado (0,4); bisavô (0,3); babá (0,3); padrinho (0,3); pastor (0,2); padre (0,1); policial militar (0,1); porteiro de escola (0,1) e profissional de psicologia (0,1).

Reconhecimento

O reconhecimento da população paraense é um dos indicadores de que o trabalho da Fundação Pro Paz, por meio dos seus projetos, tem avançado em termos de qualidade e número de atendimento, pois hoje, a demanda espontânea dos serviços representa 44% do total de atendimentos.

Ao longo de dez anos, o Pro Paz Integrado já conta com o reconhecimento e certificação do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), por meio de várias parcerias, à exemplo das Semanas do Bebê; Organização das Nações Unidas (ONU), por meio da integração ao Comitê Permanente da América Latina para Prevenção do Crime (Coplad); Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e Organizações Não Governamentais (ONGs) como a Childhood, com sede na Suécia, que referendou o projeto como modelo de atendimento no Brasil às crianças em situação de abuso e exploração sexual.

Recentemente, a ONG inglesa United Society (US), sediada em Londres, também visitou um dos polos do projeto Pro Paz nos Bairros, localizado na Universidade Federal do Pará (Ufpa) e reconheceu a importância do trabalho para as crianças atendidas nas comunidades consideradas mais vulneráveis. O Pro Paz foi a única iniciativa governamental do Brasil citada como exemplo de boa prática durante o 13º Congresso de Prevenção contra o Crime, realizado em abril deste ano, pela ONU, em Doha, no Qatar.

Serviço:
Para denunciar casos de abuso sexual ou qualquer tipo de violência contra crianças e adolescentes, a pessoa pode procurar conselhos tutelares em seus bairros ou municípios, a delegacia mais próxima de sua casa, uma das unidades do Pro Paz Integrado ou ligar para o “Disque 100”. Segue, abaixo, nossos endereços em Belém e interior do Estado.

Núcleo Pro Paz Integrado Santa Casa:
Endereço: Santa Casa de Misericórdia do Pará – Rua Oliveira Belo, 395, bairro Umarizal, Belém-PA. Fone: 4009-2366/ 2268 ou 3223-2412

Núcleo Pro Paz Integrado CPC Renato Chaves:
Endereço: Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” – Rodovia do Mangueirão, s/n, bairro Benguí, Belém-PA. Fone: 4009-6075/ 6000

Pro Paz Mulher:
Endereço: Travessa Mauriti, 2394, entre as Avenidas Rômulo Maiorana (antiga 25 de Setembro) e Duque de Caxias, no bairro do Marco, Belém-PA.

Pro Paz Integrado Região Zona Bragantina:
Endereço: Rua Martins Pinheiro, s/n, esquina com Duque de Caxias, bairro Alegre, Bragança-PA.

Pro Paz Integrado do Baixo Amazonas:
Endereço: Av. Sérgio Henn, n° 70, bairro Interventoria, Santarém-PA. Fone: (93) 3223-5353

Pro Paz Integrado Região do Capim:
Endereço: Rua Industrial, s/n, bairro Jardim Bela Vista, Paragominas-PA. Fone: (93) 3729-1068

Pro Paz Integrado Região do Xingu:
Endereço: Rua Curitiba, s/n, bairro Jardim Uirapuru, Altamira-PA. Fone: (93) 3515-1280

Pro Paz Integrado Região do Lago: 
Endereço: Rua São Paulo, s/n, Bairro Bela, ao lado da creche Menino Deus, Tucuruí-PA. Fone: (94) 3787-3344

Nil Muniz – Fundação Pro Paz

Acesse no site de origem: Pro Paz já atendeu quase 25 mil crianças, adolescentes e mulheres vítimas de violência no Pará (Agência Pará – 18/05/2015)