Processo contra Bill Cosby abre caminho para testemunho de dezenas de mulheres (OperaMundi – 31/12/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Mais de 50 mulheres acusam o comediante norte-americano de abuso sexual nas últimas três décadas; ele foi acusado criminalmente nesta quarta-feira nos EUA

Após décadas de repetidas acusações de mais de 50 mulheres, o comediante norte-americano Bill Cosby foi acusado criminalmente de agressão sexual grave nesta quarta-feira (30/12) em um tribunal da Filadélfia, nos Estados Unidos. A acusação, que diz respeito a somente um caso, pode abrir caminho para o testemunho de dezenas de mulheres com seus relatos de abuso sexual por parte do comediante, segundo a legislação do Estado da Pensilvânia.

O caso em questão diz respeito a Andrea Constand, uma funcionária da Universidade de Temple de quem Cosby teria sido mentor ao longo dos primeiros anos da década de 2000. De acordo com a acusação criminal em curso, Cosby drogou e abusou sexualmente de Constand durante uma das visitas dela à casa do comediante em janeiro de 2004.

Constand levou o caso à polícia na época, mas a investigação foi concluída sem que a polícia encontrasse provas suficientes e a promotoria da cidade decidiu não acusar Cosby. No entanto, ao longo de 2015 a imprensa dos EUA passou a dar mais atenção às dezenas de mulheres que acusavam o comediante de ter agido com elas assim como relatou Constand. Muitos dos casos, porém, já tinham prescrito de acordo com a legislação dos Estados da Califórnia e da Pensilvânia e não podiam mais ser processados criminalmente.

A divulgação de um depoimento do comediante durante um processo civil em julho em que ele admite ter drogado mulheres com quem ele tinha intenção de fazer sexo – apesar de reiterar que as interações sexuais foram consensuais – levou a promotoria da Filadélfia a rever a decisão de não acusar Cosby. Ele foi acusado apenas dias antes que este caso específico prescrevesse.

De acordo com a legislação do Estado da Pensilvânia, vítimas de abusos sexuais que não tenham resultado em acusação formal podem testemunhar em casos que envolvam seus supostos perpetradores. Para especialistas ouvidos pelo jornal britânico The Guardian e pelo jornal norte-americano The Washington Post, o testemunho das dezenas de mulheres que acusam Cosby de abuso sexual pode atestar o modus operandi do comediante e ajudar a promotoria a garantir uma condenação.

Heidi Thomas, que acusa Cosby de tê-la drogado e de ter abusado sexualmente dela em 1984, disse à CNN que ela e as outras mulheres que têm levado os casos ao público nos últimos anos estão “emocionadas”. “Muitas de nós, eu mesma incluída, não achávamos mesmo que o veríamos diante de um tribunal devido ao poder, à influência e ao dinheiro que ele tem.” A advogada Gloria Allred, que representa 29 mulheres que alegam terem sido abusadas sexualmente por Cosby, afirmou nesta quarta-feira que “vê-lo acusado criminalmente é o melhor presente de Natal que elas poderiam receber”.

Bill Cosby, que tem 78 anos, se consagrou nos EUA com o sucesso do programa The Cosby Show, que foi ao ar nos anos 1980 até o início dos anos 1990. Ele interpretava o médico e pai de família Cliff Huxtable e se tornou um ícone da TV norte-americana.

No processo em curso, Cosby é réu de três acusações de agressão sexual grave e pode pegar até 10 anos de prisão por cada acusação. Na audiência realizada nesta quarta-feira (30/12), ele alegou inocência e pagou 10% da fiança de um milhão de dólares estabelecida pela juíza Elizabeth McHugh, que também exigiu que ele entregasse seu passaporte à Justiça para evitar que ele saia do país. A próxima audiência no processo está marcada para o dia 14 de janeiro.

Carolina de Assis

Acesse no site de origem: Processo contra Bill Cosby abre caminho para testemunho de dezenas de mulheres (OperaMundi – 31/12/2015)