Profissionais do HGE são atualizados sobre notificação de violência (Aqui Acontece – 02/06/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A Coordenação de Agravos e Doenças Não Transmissíveis (DANT), da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza, na tarde desta terça-feira (2), uma capacitação com profissionais  do Hospital Geral do Estado (HGE), sobre atualização da ficha de notificação da violência doméstica, sexual e/ou outras violências. O evento acontece a partir das 14h, no 1º andar, sala 02, próximo ao posto de enfermagem da unidade.

A ficha de notificação da violência é um instrumento de proteção. Ela possibilita que a Rede de Proteção à Violência na rede de saúde pública seja acionada, sempre que um caso for notificado. Os dados coletados na ficha servem para implementação de políticas públicas para o enfrentamento desses agravos, que é considerado um problema de saúde pública.

Segundo a coordenadora da Dant, Rozali Costa, essa capacitação é necessária porque houve algumas mudanças na ficha (conforme a portaria nº 1271 de junho de 2014), que precisam ser explicadas aos profissionais de saúde. Essa ficha tornou-se obrigatória desde janeiro de 2011. A Dant já realizou a capacitação no Hospital Universitário, Santa Casa de Misericórdia, Cerest e Hospital Vida.

Violência

Considerada uma das mais significativas causas de desestruturação familiar e pessoal, a violência foi reconhecida pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1993 como um problema de saúde pública. Foi também por conta dos altos índices de violência doméstica e sexual registrados no país, que o Ministério da Saúde instituiu a Portaria nº 104, incluindo-a na lista de doenças de notificação compulsória, ou seja, agravos que afetam diretamente a vida da população, causando prejuízos à saúde das pessoas.

Entre as várias manifestações da violência, a sexual é uma das mais danosas, visto que provoca grandes transtornos físicos e emocionais, como ansiedade, medo, pesadelos, dores no corpo, risco de adquirir DST/Aids e de gravidez indesejada, além de tornar suas vítimas mais suscetíveis a outros tipos de violência, ao abuso de drogas, à prostituição, às disfunções sexuais, à depressão, às doenças psicossomáticas e ao suicídio.

Ascom – SMS

Acesse no site de origem: Profissionais do HGE são atualizados sobre notificação de violência (Aqui Acontece – 02/06/2015)