Projeto busca conscientizar e reduzir violência contra a mulher em Rondonópolis (Folha Max – 24/03/2018)

Uma iniciativa que visa reduzir os índices de violência contra a mulher e a reincidência dos agressores foi colocada em prática pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Rondonópolis (DEDM) da Polícia Judiciária Civil, em Rondonópolis (212 km ao Sul). É o projeto “Movimenta-se contra a Violência”, que além de trabalhar com a violência de gênero, também aborda a temática junto ao público juvenil nas escolas.

O projeto “Movimenta-se contra a Violência”, foi idealizado pela investigadora de polícia, Gislene Cabral de Souza, da DEDM de Rondonópolis, para ampliar as ações de combate à violência no âmbito familiar, levando informações e esclarecimentos para estudantes de várias faixas etárias.

As palestras já atingiram mais de 750 pessoas, entre crianças, adolescentes e jovens, da região do Vale do São Lourenço (Sul de Mato Grosso). Foram beneficiadas 13 unidades de ensino dos municípios de Juscimeira (157 km ao Sul), Dom Aquino (166 km ao Sul) e São Pedro da Cipa (148 km ao Sul). A última ocorreu na manhã desta sexta-feira (23.03) na Escola Irmã Miguelina Corso, da cidade de São Pedro da Cipa, para alunos do ensino médio.

Conforme Gislene Cabral, o projeto foi iniciado em agosto de 2017, diante da necessidade de melhorar o atendimento às vítimas na Delegacia da Mulher, buscando proporcionar estrutura humanizada as mulheres fragilizadas pela violência. Após conseguir melhorias na unidade, com ajuda da sociedade civil organizada, o projeto ampliou as atividades em busca de reduzir os casos de reincidência no âmbito familiar, voltando à atenção não somente às mulheres vítimas, mas também aos agressores.

“É relevante que sejam identificados fatores relacionados às características das vítimas e dos agressores, buscando desenvolver programas de proteção às mulheres vítimas dessa violência que se alastra no seio familiar e social, em todas as classes sociais e níveis culturais”, analisa a investigadora.

No dia 8 de março de 2018 foi realizada a primeira atividade pública do projeto, para celebrar a data e conscientizar a sociedade sobre o crescente aumento da violência doméstica, que pode chegar ao feminicídio.

Para o delegado regional de Rondonópolis, Claudinei Souza Lopes, o trabalho é importante, pois chama a atenção da sociedade sobre a necessidade de unir forças e, junto com a segurança pública, agir em defesa da paz social.

“O projeto é voltado para alertar sobre os índices de violência contra mulher, criança, adolescente e idoso, uma vez que crimes dessa natureza têm aumentado em todos os estados do país. A ideia é levar, através de palestras e diálogos, informações  para dentro das escolas e faculdades”, disse.

Outro foco do projeto é promover a aproximação dos alunos, estudantes e acadêmicos, com a Polícia Civil.  “As ações também são realizadas com intuito de dificultar a invasão de grupos criminosos nas escolas, aliciando adolescentes e fomentando o tráfico de drogas”, completou Lopes.

Para as próximas semanas, o projeto “Movimenta-se contra a Violência” fará apresentações nas cidades de Guiratinga e Pedra Preta, com possibilidade de estender as apresentações até Itiquira, e ainda região de Alto Araguaia.

Segundo a investigadora, que tem mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e cursa doutorado em Estudos da Criança na Especialidade da Sociologia da Infância, pela Universidade do Minho, em Portugal, as palestras objetivam sensibilizar a comunidade e superar os desafios da violência contra a mulher.

“A partir das palestras no cotidiano das escolas será possível contribuir com a instrução formal de nossos cidadãos e tê-los como aliados neste movimento contra violência doméstica”, finaliza Gislene Cabral.

Acesse no site de origem: Projeto busca conscientizar e reduzir violência contra a mulher em Rondonópolis (Folha Max – 24/03/2018)