Projeto de combate à violência doméstica chega à Comarca de Santa Luzia (TJRO – 02/05/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

A exposição “Primeiro Plano”, organizada pelo Tribunal de Justiça de Rondônia para promover a reflexão sobre a condição da mulher na sociedade, chega à Comarca de Santa Luzia do Oeste. Na abertura, alunos da escola Juscelino Kubitschek visitaram o fórum e conferiram de perto as 10 fotos que compõem a mostra. Ao todo são 12 mulheres retratadas que com expressões, posturas e atitudes contribuem de alguma forma para a conscientização sobre os direitos da mulher.

Exposição Primeiro Plano busca conscientizar sobre direitos das mulheres (Foto: TJRO)

Exposição Primeiro Plano busca conscientizar sobre direitos das mulheres (Foto: TJRO)

“Diferente e surpreendente”, opinou a assistente social Cláudia Cassandra. Ela considerou interessante a valorização da mulher que trabalha. “São perfis diversos. Revelam as conquistas e o esforço dessas mulheres que nos representam na luta diária”, completou.

Para o psicólogo Robert Araújo é essencial o Judiciário encampar a luta pela valorização e o empoderamento da mulher. “O que me chama atenção na exposição é que não só o coletivo, mas a individualidade de cada história exposta agrega valor a uma realidade palpável e transformadora, que vai além de apenas um discurso”, exclamou.

As imagens foram captadas também por mulheres, que utilizam a fotografia como instrumento de expressão e reflexão sobre a realidade: Ana Carolina Cardoso, Marcela Bonfim, Michele Saraiva, Raíssa Dourado e Simone Norberto.

Cinema como transformação

A preocupação do Tribunal, que pelo terceiro ano consecutivo vem promovendo atividades de conscientização pelo reconhecimento da igualdade de gêneros no mais amplo aspecto, ganha ainda melhor alcance com a linguagem audiovisual.

Estudantes assistem ao documentário “Quem Matou Eloá, de Lívia Perez (Foto: TJRO)

Estudantes assistem ao documentário “Quem Matou Eloá, de Lívia Perez (Foto: TJRO)

O filme “Quem Matou Eloá, de Lívia Perez, a exemplo da exibição feita em Vilhena, primeira comarca do circuito da circulação do projeto, teve ótima recepção também na comarca de Santa Luzia do Oeste.

Diferentemente do público de Vilhena, formado na maioria por profissionais da área psicossocial, professores e servidores da justiça, a plateia de Santa Lúzia foi essencialmente de estudantes. Participativos, eles não exitaram em fazer perguntas e comentar suas impressões sobre o contundente documentário que analisa o papel da mídia no caso que resultou na morte da adolescente Eloá, assassinada pelo namorado Lindenberg.

O fato da vítima ser jovem provocou ainda mais identificação. “É bem chocante para eles ver alguém quase da mesma idade enfrentar uma situação de violência como essa. Faz repensar sobre as próprias atitudes”, refletiu a professora Valceli Antunes de Oliveira Cardozo, que acompanhou a turma.

O filme “Quem Matou Eloá?” teve autorização concedida pela realizadora, que acompanha interessada de SP a repercussão das exibições. Para ela, o audiovisual é um instrumento de transformação social e, nesse caso específico, uma ferramenta crítica sobre o próprio audiovisual que se faz nas televisões abertas.

Lívia Perez alerta, ainda, para a seriedade do tema. “O Brasil é o quinto país que mais mata mulheres no mundo”, lembrou. Superado apenas por El Salvador, Colômbia, Guatemala e Federação Russa, o Brasil tem taxa de 4,8 homicídios por 100 mil mulheres, segundo o mapa da violência.

Em termos regionais, no ranking das capitais brasileiras, Porto Velho ocupa o 7º lugar, com taxa de 9,5 homicídios por cem mil mulheres. Um Município rondoniense também está no ranking dos 60 mais violentos na área, trata-se de Buritis, com registro de 13,8 homicídios de mulheres (por 100 mil), ocupando o 31º lugar.

Buritis será a sexta comarca contemplada com o projeto, que ainda percorrerá Cacoal, Presidente Médici, Costa Marques, Guajará-Mirim e Cerejeiras.

Acesse no site de origem: Projeto de combate à violência doméstica chega à Comarca de Santa Luzia (TJRO – 02/05/2016)