Queixas de violência contra a mulher aumentam 80% em Feira de Santana (G1/Bahia – 29/01/2015)

Três mulheres já foram assassinadas por ex-companheiros só este ano. São 92 registros em 15 dias, enquanto em 2014 foram 50 ocorrências

O número de queixas de violência contra mulher em Feira de Santana, segunda maior cidade da Bahia, aumentou em 80%, se comparado ao mesmo período do ano passado. Só este ano, três mulheres foram assassinadas em crimes passionais no município.

Clique na imagem para assistir à reportagem

Clique na imagem para assistir à reportagem

Em 2014, 2.621 mulheres registraram queixa de violência doméstica na Delegacia Especial de Atenção à Mulher (DEAM) da cidade. No período, 24 mulheres foram assassinadas e 13 sofreram tentativa de homicídio. Só na primeira quinzena de janeiro foram ao todo 50 queixas, enquanto este ano foram 92.

Diferente de 2014, cuja maioria das maioria das ocorrências foi somente de ameaças, este ano já foram registradas tentativas de lesões corporais, de homicídio e até assassinato. De acordo com a delegada Clécia Vasconcelos, denunciar os agressores é o meio mais eficaz de evitar que o problema se agrave.

“Já houve homicídio, tentativa de homicídios e lesão corporal de natureza grave. Isso nos preocupa, à medida que há esse incremento de ocorrências. Também não sabemos exato qual leitura a ser feita. Se esse número de ocorrências se deve também ao entendimento que as mulheres agora tem da importância da denúncia”, afirma a delegada.

A comerciária Karine de Jesus Silva, de 23 anos, foi uma das vítimas fatais. Ela era agredida pelo namorado, Ronilson Silva Macedo, mas nunca registrou queixa. O assassinato ocorreu no dia 6 de janeiro, após ela ter anunciado o fim do namoro, por ter descoberto que o rapaz era casado. A comerciária foi sequestrada pelo ex-namorado, que já está preso, perto da casa morava. O corpo foi encontrado no dia seguinte, na região metropolitana de Salvador.

Outra mulher, que evita mostrar o rosto, já chegou a sair de casa para fugir da violência do marido. Há um ano ela resolveu por fim a uma relação que durou quase 30 anos. Mesmo assim, as ameaças não pararam. “Não gosto mais dele, não quero viver com ele, então não sou mais obrigada. Eu sou ameaçada…de morte”, afirma.

Acesse no site de origem: Queixas de violência contra a mulher aumentam 80% em Feira de Santana (G1/Bahia – 29/01/2015)