Representantes do interior conhecem a Patrulha Maria da Penha (bem Paraná – 23/02/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Representantes das prefeituras de Toledo e Arapongas, cidades do interior do Paraná, estiveram em Curitiba nesta segunda-feira (22) para conhecer o trabalho da Patrulha Maria da Penha, serviço da Secretaria Municipal da Mulher em conjunto com a Guarda Municipal de Curitiba e o Tribunal de Justiça do Paraná que já prestou atendimento a 6,2 mil mulheres em situação de violência, desde que foi implantando em março de 2014.

Os visitantes foram recebidos pela secretária municipal da Mulher, Roseli Isidoro, e participaram de uma reunião realizada no Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, que teve a presença da desembargadora Denise Kruger, coordenadora da área de violência contra a mulher do Tribunal de Justiça do Paraná. Na ocasião, foi feita uma apresentação do processo de criação e da metodologia de trabalho da Patrulha Maria da Penha em Curitiba.

Com base nos subsídios obtidos em Curitiba, estas prefeituras pretendem criar serviços semelhantes em seus municípios. “Temos muito interesse em conhecer a experiência de Curitiba, a prática, os problemas enfrentados, como é a estrutura e como fazer, pois pretendemos implantar este serviço na nossa cidade ainda este ano”, disse Leoclides Luiz Bisognin, secretário de Segurança e Trânsito de Toledo.

Segundo a desembargadora Denise Kruger, a Patrulha Maria da Penha se tornou um exemplo, por isso está atraindo a atenção de outras cidades.

“A Patrulha Maria da Penha dá maior segurança à mulher com medidas protetivas, pois ela sabe que está sendo acompanhada. Isto está chegando ao conhecimento de outros municípios, que estão nos visitando pois têm interesse em ter esta Patrulha funcionando em suas comarcas“, disse a desembargadora.

Participaram da reunião, representando Toledo, Jaqueline Machado, secretária de Política para as Mulheres; Amanda Teixeira, coordenadora de Proteção à Mulher, e Moacir Campos, representante da Guarda Municipal do município do oeste paranaense.

A cidade de Arapongas foi representada por Márcia Bispo, da Secretaria de Assistência Social; Odair Jacinto, supervisor da Guarda Municipal e Denise Amorim Almeida, também da Guarda Municipal da cidade.

O programa da Patrulha Maria da Penha da Prefeitura de Curitiba, que vai completar dois anos de funcionamento no mês que vem, além de ser uma força de segurança – que garante a efetividade da Lei Maria da Penha, monitorando o cumprimento das medidas protetivas de urgência – tem se confirmado como um modelo de excelência no atendimento humanizado às mulheres em situação de violência na cidade.

Desde sua criação, em março de 2014, a Patrulha já prestou mais de 6 mil atendimentos para mulheres em situação de violência. Além disso, 3,2 mil mulheres recebem acompanhamento constante da equipe especializada de guardas municipais.

A secretária Roseli Isidoro lembrou que a experiência de Curitiba, da implantação da Patrulha Maria da Penha com a Guarda Municipal, tem servido de exemplo para várias outras cidades brasileiras, como Campo Grande (MS), Londrina, Araucária, São Paulo (SP).

A patrulha leva o nome da Lei Maria da Penha – que trata da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. É um serviço de atendimento às mulheres vítimas de violência doméstica que possuem medidas protetivas de urgência expedidas pelo Judiciário.

Acesse no site de origem: Representantes do interior conhecem a Patrulha Maria da Penha (bem Paraná – 23/02/2016)