Retomadas as obras da Casa da Mulher Brasileira (Bem Paraná – 19/08/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

As obras de construção da Casa da Mulher Brasileira de Curitiba foram retomadas nesta quarta-feira (19), pela construtora Gomes e Azevedo Ltda, segunda colocada no processo de licitação. A casa está sendo construída na Avenida Paraná, no Cabral, e terá capacidade para atender em torno de 4 mil mulheres por mês. A previsão de término da obra é para março de 2016.

Nesta manhã, a secretária da Mulher de Curitiba, Roseli Isidoro, visitou as obras, acompanhada pelo engenheiro responsável, Erson Gomes de Azevedo.

A primeira colocada na licitação iniciou as obras em novembro do ano passado, porém não cumpriu prazos e metas estabelecidos com a Prefeitura e governo federal e por isso teve o contrato cancelado. Agora, a empresa que assume a obra é a mesma que construiu, e já entregou, a Casa da Mulher de Campo Grande (MS). “É uma empresa que nos dá mais confiança, pois já vem com a experiência da que construiu, sendo conhecedora do projeto e de todas as adaptações necessárias para a conclusão da obra”, diz Roseli.

As negociações do terreno, as definições dos projetos e das diretrizes de funcionamento da casa vêm sendo feitas desde março de 2013, por meio da Secretaria Municipal da Mulher (gestora da Casa) e a da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM) em parceria com o Banco do Brasil, gestor dos recursos.

“A retomada da obra conta com cerca de 100 operários, a maioria haitianos, que estão tendo oportunidade de emprego, o que caracteriza o aspecto social do empreendimento desde sua origem”, disse Roseli.

O espaço vai abrigar a Delegacia da Mulher, núcleos do Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, do Ministério Público Estadual, e da Defensoria Pública. Contará com profissionais da área de Psicologia, Assistência Social e da Educação dos quadros da Prefeitura de Curitiba e ainda com uma equipe para orientação na área de emprego, geração de renda, empreendedorismo e acesso ao microcrédito. A estrutura física terá ainda brinquedoteca e espaço de convivência para as mulheres. Para o acesso aos serviços de saúde (Instituto Médico Legal, hospitais de referência e unidades básicas) e de abrigamento, a casa vai oferecer transporte gratuito.

Os investimentos da obra de Curitiba são de R$ 7,3 milhões para uma área construída de 3.118 metros quadrados. O terreno tem 7 mil metros quadrados e foi adquirido pela SPM pelo valor de R$ 35 milhões. No total, o governo federal investirá neste empreendimento, R$ 42 milhões.

A secretária afirma que hoje, em regra, a mulher vítima de violência procura por delegacias, hospitais e Ligue 180. E, a partir daí, começa a busca por uma série de direitos que podem levar muito tempo e até mesmo custar-lhe a vida. “Nosso objetivo é evitar que a vítima da violência se perca no caminho do acesso aos serviços públicos. É preciso reunir tudo num só lugar, e foi pensando nisso que surgiu o Programa Mulher Viver sem Violência ao qual integra a casa que faz parte de uma das etapas do programa como um modelo arrojado de prestação de serviço para, efetivamente, fazer frente ao problema”, disse Roseli.

Acesse no site de origem: Retomadas as obras da Casa da Mulher Brasileira (Bem Paraná – 19/08/2015)