Roda de conversa discutiu violência de gênero (DPPR – 01/04/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Com o tema “Não silencie… Denuncie! Diga não à violência doméstica”, a DPPR, através da Ouvidoria, EDEPAR e Grupo de Trabalho de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher, em parceria com a Associação dos Defensores Públicos do Paraná (ADEPAR), realizou na noite de quarta-feira (25/03) a segunda edição do evento “Mulheres em Ação”. Buscando uma linguagem mais informal, o evento foi realizado como uma roda de conversa, onde os participantes puderam, abertamente, discutir o tema da violência de gênero, trocar experiências e esclarecer dúvidas.

Para iniciar a conversa, foi exibido um teaser do documentário “Silêncio das Inocentes”. A obra mostra como se processa no Brasil a aplicação da Lei nº 11.340/2006, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha, considerada uma das três leis mais completas do mundo no gênero. A lei leva o nome da bioquímica e farmacêutica cearense, que ficou paraplégica após ser baleada pelo marido e pai de suas três filhas. Através de vários depoimentos de vítimas e especialistas, o filme apresenta o cotidiano das vitimas de violência doméstica¹.

A seguir, psicólogos, estudantes, assistentes sociais, defensores, professores, advogados e estagiários puderam conversar sobre o tema. A secretária da mulher de Curitiba, Roseli Isidoro, abriu o debate destacando o recente lançamento do aplicativo Clique 180, criado em uma parceria da ONU Mulheres com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República e a Prefeitura de Curitiba. O app, disponível para sistemas Android e IOS, contem indicações de locais seguros e inseguros para mulheres na capital paranaense, informações sobre os tipos de violência de gênero, chamada imediata ao Ligue 180 e íntegra da Lei Maria da Penha (veja os detalhes aqui).

“Muito válida a iniciativa de realizar esta roda de conversa. Nesse formato mais descontraído de debate e de interação, a gente percebe o compromisso, a sensibilidade e a vontade em cada um de enfrentar a violência contra as mulheres, alvo de nossa preocupação cotidiana para além das relações profissionais e de entes públicos entre nós”, avaliou a secretária. Quanto ao aplicativo Clique 180, Roseli o classificou como “uma ferramenta em favor do enfrentamento da violência contra as mulheres, voltada para fortalecer as ações do poder público, divulgar, esclarecer e efetivar os direitos contidos na Lei Maria da Penha”.

Em quase duas horas de conversa, o público pôde fortalecer a rede de atendimento às mulheres da capital paranaense. Representantes de diversas entidades, como Secretaria da Mulher de Curitiba, Coren/PR, CMP/PR e Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), trocaram experiências e identificaram algumas deficiências das instituições envolvidas. Para a assistente social da DPPR Janaine Nunes dos Santos, este foi um dos resultados mais importantes do evento:

“A Roda de conversa constituiu-se num espaço de diálogo sobre o atendimento à mulher em situação de violência, onde a Defensoria Pública pode apresentar o atendimento realizado, bem como suas fragilidades na necessidade do aprofundamento da discussão de gênero na Defensoria na perspectiva de construir um atendimento especializado, integral e humanizado. Destaco a participação no evento de profissionais de diversas áreas que se interessaram em conhecer o trabalho da Defensoria nesta temática e reconheceram este como um espaço fértil para produção de discussão e construção de uma possível rede de atendimento, mesmo considerando as fragilidades dos órgãos públicos existentes e a inexistência de uma efetiva rede de proteção à mulher em situação de violência.

A explanação sobre a instituição da Casa da Mulher da Brasileira trouxe a expectativa da possibilidade de um atendimento integral, mas o coletivo percebe a impossibilidade de aguardar sua inauguração para iniciar a discussão e a construção da rede.

Outro destaque é para o aplicativo chamado ‘Clique 180’ o qual possibilita às mulheres acesso rápido ao canal de denúncia 180, possui explicações quanto aos tipos de violências, acesso rápido à lei Maria da Penha e também possibilita o mapeamento de locais de risco para mulheres.”

Texto retirado do site da TV Brasil. Disponível em: http://tvbrasil.ebc.com.br/docespecial/episodio/silencio-das-inocentes. O teaser do documentário pode ser visto aqui.

Acesse no site de origem: Roda de conversa discutiu violência de gênero (DPPR – 01/04/2015)