Sala da Mulher ressalta importância de fortalecimento da influência feminina (ALMT – 24/04/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Projetos como o ‘Promotoras Legais Populares’ (PLP’s) proporcionam o fortalecimento da influência feminina ao oferecer conhecimento dos direitos das mulheres, afirma Maria Tereza Maluf

Projetos como o ‘Promotoras Legais Populares’ (PLP’s) proporcionam o fortalecimento da influência feminina ao oferecer conhecimento dos direitos das mulheres. É o que afirmou a presidente de honra da Sala da Mulher, Maria Teresa Maluf, durante a solenidade de formatura de 39 mulheres da segunda turma de PLP’s, realizada na noite de ontem (23), no Plenário de Deliberações Renê Barbour, na Assembleia Legislativa.

Projeto Promotoras Legais (Foto: Marcos Lopes/ALMT)

Projeto Promotoras Legais (Foto: Marcos Lopes/ALMT)

“A capacitação de mulheres para promoção de mudanças é necessária para a transformação da realidade. A violência, discriminação e desigualdade nos fazem lutar por políticas públicas para mulheres, mas acima de tudo possibilita mais conhecimentos dos nossos direitos”, destacou Maria Teresa.

A presidente de honra também agradeceu a todos os que contribuem pela causa, em especial, aos professores pela total dedicação e por acreditarem nesse projeto de cidadania.

“Essas mulheres, agora diplomadas, estão aptas a serem multiplicadoras de informações e a auxiliar mulheres que estejam em risco ou necessitem de orientação”, completou.

A coordenadora geral do projeto, promotora de Justiça do Ministério Público Estadual (MPE) Lindinalva Rodrigues explicou que esse projeto visa levar cidadania as mulheres das mais variadas sociedades. Agradeceu a parceria com Assembleia, por meio da Sala da Mulher e Escola do Legislativo. Pediu a todos que atuam no enfrentamento que não desanimem em razão das críticas, a maioria delas injustas, pois são muitos os trabalhos a serem executados.

“Tivemos uma acentuada queda de femicídio em Cuiabá. Em 2012, foram 18 mulheres mortas por conta de violência doméstica, no ano seguinte, sete vítimas. Já em 2014, seis e esse ano ainda não tivemos nenhum registro. Quiçá, sejam por essas iniciativas. Agora Várzea Grande também precisa de políticas públicas, a maioria dos casos que ouvimos acontece lá”.

Oradora da turma, a formanda Sirlei Regina pontuou que cada uma delas é responsável pelo sucesso e que terão um papel fundamental na multiplicação do conhecimento adquirido. Ela espera que o aprendizado em sala de aula contribua com o cotidiano de cada uma delas.

“Agora, estamos preparadas para instruir outras mulheres. Ao longo do curso, aprendemos a ouvir mulheres vítimas. E, não se trata apenas de transferência de informação, mas também de desenvolvimento de outros olhares. Pois, passamos a nos valorizar e cuidar de si, com melhoria da autoestima e reconhecimento de qualidades pessoais”.

Na oportunidade foi exibido um vídeo dos melhores momentos da turma. Professores também foram homenageados. Para a coordenadora técnica Rosa Morceli, o apoio do MPE, em especial na pessoa da promotora Lindinalva Rodrigues, e da Assembleia Legislativa, foi fundamental nesses dois anos de projeto com a formatura da segunda turma.

“Não tivemos vidas perdidas, e sim transformadas. Na primeira turma, mulheres que voltaram a estudar, empreenderam novos negócios e hoje estão liderando o processo de transformação em Mato Grosso. É uma alegria celebrar esse ciclo de dois anos na Casa da Cidadania, a Assembleia. Haveremos de ter outras turmas, pois esse projeto não pode encerrar aqui”.

Já a coordenadora da Escola do Legislativo, Érica Bussiki, afirmou que as recém diplomadas exercerão um papel essencial para a redução da violência.

“Vocês estarão na ‘ponta’ da sociedade auxiliando mulheres. É o sistema tolerância zero em que pessoas treinadas são colocadas na ‘ponta’ para trazer os problemas às autoridades”.

Representando o Poder Judiciário, a juíza da Primeira Vara de Violência Doméstica, Ana Cristina Silva Mendes, comemorou mais uma turma do projeto formada.

“Sem dúvidas que esse é um sonho, um projeto de um pequeno grupo de formiguinhas que vão levar para a sua comunidade tudo que aprenderam. Mulheres que tinham uma situação de violência e que não sabiam o que fazer e vão receber de vocês, Promotoras Legais, um norte e orientação”.

A formatura teve ainda a apresentação do Coral do Instituto Jaiminho. Participaram da solenidade o Procurador-geral de Justiça do Estado de Mato Grosso, procurador Paulo Prado; o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Guilherme Maluf (PSDB); os deputados Dilmar Dal Bosco (DEM) e Wilson Santos (PSDB); a coordenadora técnica do PLP, Renata Teixeira; além de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e de segmentos ligados aos Direitos da Mulher.

Projeto – O PLP é uma parceria do MPE, juntamente com a Casa de Leis, por meio da Sala da Mulher e Escola do Legislativo. O objetivo é capacitar a mulher, em geral líderes comunitárias, ao facilitar o acesso delas ao conhecimento dos seus direitos. Ao receber essa capacitação, as ‘promotoras legais’ se sentem estimuladas a se tornar multiplicadoras dessas informações nas suas respectivas comunidades.

SANDRA COSTA/Secretaria de Comunicação

Acesse no site de origem: Sala da Mulher ressalta importância de fortalecimento da influência feminina (ALMT – 24/04/2015)