São Paulo recebe unidade móvel e adere à campanha de prevenção à violência contra as mulheres

Mesa foi composta por representantes do governo federal, municipal e parceiros da Campanha (Foto: Géssica Brandino)

Mesa foi composta por representantes do governo federal, municipal e parceiros da Campanha (Fotos: Géssica Brandino)

Campanha ‘Quem Ama Abraça’ e unidade móvel do Programa ‘Mulher, Viver sem violência’ permitirão avançar na prevenção e no enfrentamento à violência doméstica na cidade

O município de São Paulo aderiu nesta segunda-feira (24/03) a duas iniciativas que permitirão avançar na prevenção e enfrentamento à violência contra as mulheres. A prevenção virá com a Campanha ‘Quem Ama Abraça’, que com o lema ‘fazendo escola’ pretende conscientizar crianças e adolescentes das escolas municipais sobre o problema da violência doméstica.  Já a entrega da unidade móvel do Programa ‘Mulher, Viver sem violência’, iniciativa da Secretaria de Políticas para as Mulheres do governo federal, permitirá levar o atendimento multidisciplinar a mulheres de regiões distantes do Estado e ao mesmo tempo promover a disseminação da Lei Maria da Penha.

Ministra destaca rede de atendimento criada pelo governo federal para as mulheres (Foto: Géssica Brandino)

Ministra destaca rede de atendimento criada pelo governo federal para as mulheres

São Paulo aderiu ao ‘Mulher, Viver sem violência’ em agosto no ano passado. Na ocasião foi anunciada a construção da Casa da Mulher Brasileira, na região central da capital, concentrando todos os serviços às mulheres vítimas de violência em um único espaço. A ministra Eleonora Menicucci, da SPM-PR, lembrou que a ação demonstra o esforço que tem sido feito pelo Executivo federal para universalizar o acesso das mulheres à rede de atendimento e que a entrega dos ônibus responde a uma reivindicação das mulheres rurais.

Ao todo, 54 unidades móveis serão entregues no País. Em São Paulo, outros dois ônibus serão entregues posteriormente, um para realizar o atendimento nos municípios do interior do Estado e outro em locais mais distantes, onde as mulheres enfrentam o problema do difícil acesso.

Unidade móvel entregue à prefeitura de São Paulo (Foto: Géssica Brandino)

Unidade móvel entregue à prefeitura de São Paulo

“Quando as mulheres do campo e da floresta sobem os degraus dos ônibus estão deixando para trás, sem dúvida nenhuma, o medo e o pacto do silêncio, rompendo uma das maiores barreiras, que é o medo de denunciar o homem que ela escolheu para viver com ela. Ao fazer isso, ela se torna um sujeito de direito”, frisou a ministra Eleonora.

A unidade móvel circulará na Capital e nos 18 municípios da região metropolitana de São Paulo. Para o prefeito Fernando Haddad, ao romper a distância, o equipamento incentivará a denúncia e será uma forma de efetivar a Lei Maria da Penha na cidade.

Prefeito destaca comprometimento do executivo municipal com o enfrentamento da violência

Prefeito destaca comprometimento do executivo municipal com o enfrentamento da violência

“Essa iniciativa vai levar um pessoal qualificado ao encontro da violência para superá-la. Não estamos mais esperando chegar o informe da violência. Estamos indo ao bairro e estimulando as mulheres e aqueles que são testemunhas da violência a denunciarem. O gesto do poder público é quase uma busca ativa dos violadores dos direitos das mulheres”.

O itinerário do ônibus começará pelo extremo sul da cidade, já na primeira quinzena de abril, e seguirá pelos bairros mais violentos, levando uma equipe composta por advogada, psicóloga e assistente social, que permanecerá no local durante uma semana. Segundo a secretária Municipal de Políticas para as Mulheres de São Paulo, Denise Motta Dau, a pasta tem articulado com o Governo Estadual e municípios para que uma delegada possa integrar a equipe, o que permitirá o registro do boletim de ocorrência já no ônibus. Em algumas regiões, a equipe também contará com um profissional da saúde.

Secretária de Políticas para as mulheres de São Paulo reforça parceria com educação para a implementação da Campanha (Foto: Géssica Brandino)

Secretária de Políticas para as mulheres de São Paulo reforça parceria com educação para a implementação da Campanha

“Não temos serviços suficientes para atender as mulheres vítimas de violência doméstica e o ônibus faz com que uma equipe multidisciplinar chegue a essas mulheres. Caso elas precisem de um acompanhamento, serão encaminhadas para os nossos Centros de Referência da Mulher para o acompanhamento do caso”, explica a secretária.

Para complementar as ações de enfrentamento à violência, a Prefeitura estuda a viabilidade de instalar uma Patrulha Maria da Penha em São Paulo, nos mesmos moldes do trabalho desenvolvido no Rio Grande dos Sul.

Prevenção nas escolas

Ativista Schuma Schumaher fala do caráter preventivo da Campanha (Foto: Géssica Brandino)

Ativista Schuma Schumaher fala do caráter preventivo da Campanha

Alinhada às ações de enfrentamento à violência, a “Campanha Quem Ama Abraça” ajudará na divulgação da rede de serviços disponíveis para que a mulher possa buscar ajuda. Juntamente com as campanhas Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha e Desperte para essa Causa, a campanha pretende engajar a sociedade para uma mudança de comportamento frente à violência de gênero.

A ministra Eleonora Menicucci reforçou a importância da iniciativa para coibir a perpetuação da violência.  “A criança que vê o pai batendo na mãe dentro de casa vai achar aquilo tão normal que pode reproduzir. Nenhum secretário se arrependerá de colocar essa campanha no âmbito das escolas. Tenho certeza que estamos mudando a cultura do machismo e da violência no nosso País”, declarou.

Gestoras e militantes dos direitos das mulheres prestigiaram o evento (Foto: Géssica Brandino)

Gestoras e militantes dos direitos das mulheres prestigiaram o evento

Em São Paulo, a campanha foi abraçada pela Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres e pela Secretaria de Educação da Prefeitura. Cada unidade escolar receberá kits com clipes musicais e jogos e materiais sobre práticas e atitudes em favor da Lei Maria da Penha e de apoio às mulheres em situação de violência, tanto para as crianças quanto para os educadores e professores.

“Consideramos uma campanha da maior importância por ser uma iniciativa de prevenção. Nesta edição focamos no trabalho com as crianças na escola com o intuito de debater as relações sociais desde a infância, pra criarmos cidadãos de bem que sabem que nenhuma situação de conflito deve ser resolvida com violência”, afirmou a ativista Schuma Schumaher, coordenadora executiva da Redeh (Rede de Desenvolvimento Humano), que realiza a campanha junto com o Instituto Magna Mater (IMM) – e em parceria com o Instituto Avon e SPM-PR e apoio da Fundação Ford, organismos municipais e estaduais de políticas para as mulheres e secretarias de Educação de Estados e Municípios.

Quem Ama Abraca 2013 Clipe Kids

Quem Ama Abraca 2013 Clipe Pop/Funk

Por Géssica Brandino
Campanha Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha