Saúde debate atenção às mulheres em situação de violência sexual (Pref. Porto Alegre – 08/03/2016)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Ampliar o debate e as articulações referentes ao atendimento a mulheres vítimas de violência sexual foi um dos objetivos do encontro que ocorreu na manhã desta terça-feira, 8, pelo Dia Internacional da Mulher. Com a participação da secretária-adjunta de Saúde, Fátima Ali, o debate abordou a rede de cuidado no Hospital Fêmina, do Grupo Hospitalar Conceição, um dos centros de referência do Sistema Único de Saúde (SUS) em Porto Alegre. (fotos)

Fátima destacou o pioneirismo da cidade na rede de proteção à mulher vítima de violência com a criação, na década de 1990, da Casa de Apoio Viva Maria. Lembrou ainda do importante papel dos servidores da Saúde, mulheres em sua maioria, no acolhimento a essas vítimas, garantindo o atendimento integral. De acordo com a assessora da diretoria do GHC, Carmen Oliveira, o encontro faz parte da articulação com a prefeitura no que diz respeito a uma linha de cuidado que prevê o cumprimento de portaria do Ministério da Saúde, junto com o Ministério da Justiça, no sentido de garantir que as mulheres vítimas de violência sexual possam ser atendidas integralmente nos hospitais, inclusive com coleta de vestígios que sirvam no caso de encaminhamento como prova judicial. “Isso é o que chamamos de cadeia de custódia. Estamos capacitando as equipes e estreitando a parceria com a prefeitura e com o Departamento Médico Legal para que consigamos viabilizar o atendimento”, afirma Carmen.

Hospitais de referência – Os pronto atendimentos e hospitais da Capital estão qualificadas para fazer a profilaxia pós-exposição, incluindo casos de violência sexual. A técnica da área de Doenças e Agravos não Transmissíveis/Agravos e Violência da Secretaria Municipal de Saúde, Rita Buttes, explica que o procedimento inclui uma série de exames e o uso de medicamentos antirretrovirais, uma forma de prevenção da infecção pelo HIV para pessoas que possam ter entrado em contato com o vírus recentemente. São locais de referência para atendimento a vítimas de violência sexual na capital gaúcha o Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, administrado pela SMS, o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, o Hospital Conceição e o Hospital Fêmina, cadastrados pelo Ministério da Saúde para esse atendimento.

No caso de denúncia de violência sexual, disque 180 ou entre em contato com a Delegacia da Mulher pelo fone 3288-2173.

Acesse no site de origem: Saúde debate atenção às mulheres em situação de violência sexual (Pref. Porto Alegre – 08/03/2016)