Seminário da Amagis discute o papel do Judiciário no combate à violência contra a mulher – MG, 31/03/2014

Magistradas e autoridades femininas vão discutir “O Papel do Judiciário no Combate à Violência Contra a Mulher”. O seminário será realizado na próxima segunda-feira, 31 de março, na Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis). Serão discutidos temas como “Importância da Justiça Restaurativa, Arbitragem, Conciliação e Mediação”; “Experiências na Vara Infracional da Infância e da Juventude de Belo Horizonte” e “Avanços nas Políticas e Ações da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar”. O evento é aberto a todos os interessados. Veja a programação.

Percepção sobre a violência

Uma pesquisa divulgada nesta semana pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou que 58% dos brasileiros acreditam que, “se as mulheres soubessem se comportar, haveria menos estupros”. 63% dos entrevistados na pesquisa concordaram, total ou parcialmente, com a seguinte afirmativa: “casos de violência dentro de casa devem ser discutidos somente entre os membros da família”. 89% das pessoas acreditam que “a roupa suja deve ser lavada em casa”; e 82% entendem que “em briga de marido e mulher não se mete a colher”.

A superintendente da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv) do TJMG, desembargadora Heloísa Combat, comenta que, “infelizmente, a pesquisa é verídica e correta”. “O que me assusta é que muitas mulheres estão nesse percentual e pensam da mesma forma que os homens, reforçando um comportamento machista. Isso já tinha que ter sido extirpado. O homem já foi à Lua e ainda estamos tendo esse atraso na sociedade; homens e mulheres com este tipo de pensamento: mulheres devem estar sob o jugo masculino”. Segundo ela, isso só pode ser mudado com educação, em família e na escola, e a imprensa tem o papel de divulgar os fatos de violência, visando a uma mudança de atitude. “Hoje as mulheres gerenciam financeiramente a família tal qual os homens. Talvez pela opressão falte mais engajamento das mulheres em prol de igualdade de direitos”, avalia a magistrada.

As relações de gênero e a opressão contra a mulher provocam debates e preocupam o Judiciário brasileiro. No Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a Comsiv assessora a Presidência do Tribunal, a Segunda Vice-Presidência e a Corregedoria-Geral de Justiça nos temas que envolvem a mulher em situação de violência doméstica e familiar, atuando em todo o Estado. Conheça a Comsiv.

Seminário

A participação no seminário “O Papel do Judiciário no Combate à Violência Contra a Mulher” é gratuita e as vagas são limitadas.

Inscrições e informações: (31) 3079-3470 ou [email protected].

O evento será realizado no auditório da Amagis, que fica na rua Albita, 194, bairro Cruzeiro.

Assessoria de Comunicação Institucional – Ascom
TJMG – Unidade Goiás
(31) 3237-6568
[email protected]
facebook.com/TribunaldeJusticaMGoficial
twitter.com/tjmg_oficial

Acesse no site de origemSeminário discute o papel do Judiciário no combate à violência contra a mulher (TJMG – 28/03/2014)