Seminário reúne especialistas para formularem pacto global de não-tolerância à violência contra mulheres

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

(Petrobras – 21/05/2015) Começou ontem (20/5), em São Paulo, o I Seminário Internacional Cultura da Violência contra as Mulheres, iniciativa inédita no mundo, que conta com nosso patrocínio. O objetivo é provocar um debate aprofundado sobre o tema entre especialistas de diferentes países para gerar um pacto global de não-tolerância à perpetuação de uma cultura de violência contra as mulheres e de violação a seus direitos.

A cerimônia de abertura contou com a participação da ministra de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menicucci. Na ocasião, Eleonora explanou sobre a importância do encontro e mencionou a importância da ação Siga Bem Mulher. “A nossa parceria com a Petrobras e BR Distribuidora leva para a população estradeira, por meio da ação Siga Bem Mulher, todas as informações sobre direitos da Lei Maria da Penha”.

O gerente da nossa área de Relacionamento Comunitário da Gerência Executiva de Responsabilidade Social, José Barbosa, esteve presente na abertura do evento e afirmou que “o patrocínio para este Seminário reafirma o compromisso da companhia de apoiar temas e causas relacionadas aos direitos humanos. Essa é uma iniciativa alinhada as nossas ações de investimento social – o Programa Petrobras Socioambiental – e aos princípios éticos expressos no Código de Ética do Sistema Petrobras”.

Ivo Herzog, diretor executivo do Instituto Vladimir Herzog, um dos realizadores do evento, declarou a importância da nossa presença como patrocinadora deste tipo de seminário. “Esse patrocínio é mais uma prova da consistência da Petrobras em enxergar a importância de tratar estes temas humanísticos e de defesa dos direitos humanos”.

O evento conta transmissão da programação em tempo real, pelo site www.scovaw.org, com tradução simultânea em inglês e espanhol. A organização é do Instituto Vladimir Herzog e do Instituto Patrícia Galvão, em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, a ONU Mulheres e a Fundação Ford.

Palestras vão estimular os debates em quatro painéis: Perspectivas Propositivas para uma Cultura de Não-Violência contra as Mulheres; Juventude e a Cultura da Violência contra as Mulheres; O Papel da Mídia na Desconstrução da Cultura de Violência contra as Mulheres e Desafios para Mudar a Cultura da Violência contra as Mulheres.

Programação

Os trabalhos desta quinta-feira (21/5) têm início com a palestra sobre o papel da mídia na desconstrução de uma cultura de violência contra as mulheres ministrada pelo jornalista Glenn Smith, editor de projetos especiais do jornal The Post and Courier (EUA) que acaba de receber o Prêmio Pulitzer. Para dialogar sobre o assunto, estarão presentes o CEO da organização feminista Object, do Reino Unido, Roz Hardie; o assessor de comunicação e informação da Unesco para o Mercosul e Chile, Guilherme Canela; além da pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre Marcadores Sociais da Diferença do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Beatriz Accioly.

Também será apresentada pesquisa realizada pela agência Énóis Inteligência Jovem com meninas de 14 a 24 anos, sobre violência contra as mulheres e desigualdade de gênero. A palestra final, ministrada pela relatora sobre os Direitos das Mulheres da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA),Tracy Robinson, vai abordar o tema “Por uma Cultura de Respeito aos Direitos Humanos das Mulheres”.

O último painel apresentará desafios para se mudar uma cultura da violência contra as mulheres. Um diálogo sobre o tema mobilizará a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Aparecida Gonçalves; a subprocuradora-geral da República, Ela Wiecko; a representante brasileira no Mecanismo de Seguimento da Convenção de Belém do Pará (Mesecvi), Leila Linhares Barsted; a integrante do Comitê de Acompanhamento da Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Mulheres (Cedaw), da ONU, Silvia Pimentel; e a pesquisadora da Universidad Veracruzana, no México, Letícia Cufré Marchetto.

Na sessão final do seminário, os presentes irão aprovar e assinar o pacto global “Diga Não à Cultura da Violência contra as Mulheres”, que sintetizará o que foi apresentado e debatido e definirá ações a serem tomadas para o enfrentamento da violência contra as mulheres. O documento será compartilhado internacionalmente por meio da mídia e das redes sociais e será entregue a todos os setores e níveis do governo brasileiro e de organismos internacionais.

Patrocínio Petrobras

Patrocinamos o seminário, dentro do eixo estratégico “Mobilização para Temas e Causas – Direitos Humanos”, do Programa Petrobras Socioambiental. O programa vai destinar R$ 1,5 bilhão, entre 2014 e 2018, a projetos socioambientais em todo o Brasil. Além disso, temos histórico compromisso de apoio a ações de enfrentamento à violência doméstica. Por essa trajetória, aderimos à Campanha Compromisso e Atitude que prevê múltiplas iniciativas e articulações para o cumprimento adequado da Lei Maria da Penha.

Conheça nossas ações relativas ao enfrentamento à violência contra as mulheres acessando o site Compromisso e Atitude.

Acesse no site de origem: Seminário reúne especialistas para formularem pacto global de não-tolerância à violência contra mulheres (Petrobras – 21/05/2015)