Serviço lançado pelo Judiciário auxilia mulheres contra a violência em Joinville (Notícias do Dia – 11/04/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Central Rosa presta informações, recebe reclamações, denúncias e sugestões sobre a assistência prestada pelo poder público

A Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Joinville registrou cerca de 1.400 boletins de ocorrência nestes três primeiros
meses de 2015. Segundo informações da unidade, 70% dos casos são relacionados à violência contra mulheres e se enquadram na Lei 11.340/06, conhecida
como Lei Maria da Penha. Um novo serviço, lançado no fim de março pelo Poder Judiciário de Santa Catarina, deve fortalecer a rede de atendimento em
busca da dignidade da mulher em situação de violência. Trata­se da Central Rosa, que presta informações, inclusive sobre a Lei Maria da Penha, apoio e
orientações em situações de violência contra a mulher. Também receberá reclamações, denúncias e sugestões sobre a assistência prestada em todos os níveis
da rede de atendimento no município, ou ainda sobre a falta de atendimento.

Segundo a idealizadora da Central Rosa, a juíza Sônia Maria Mazzetto Moroso Terres, da 1a Vara Criminal de Itajaí, o excesso de dúvidas das mulheres
durante as palestras que ela ministra sobre violência doméstica a motivou para que fosse criado o serviço. “A ideia é informar, estimular denúncias e
empoderar essas mulheres”, resumiu a juíza. As manifestações recebidas pela Central Rosa, após análise, serão encaminhadas aos órgãos competentes. Ao
final, será informado à manifestante sobre os encaminhamentos dados à demanda. O contato pode ser feito pelo telefone 48/3287­1001 ou pelo e­mail
centralrosa@tjsc.jus.br. A Central Rosa funciona de segunda a sexta, das 12 às 19h.

Incentivo

A delegada Tânia Harada, titular da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Joinville, acredita que a Central Rosa irá abrir
espaço para que sejam feitas queixas, inclusive, em relação ao atendimento em delegacias. “Todo instrumento de informação para essas mulheres nos
auxilia”, afirmou a delegada. Tânia explicou também que é cada vez maior o número de mulheres que procuram a delegacia para efetuarem denúncias.
As denúncias de violência contra a mulher devem ser feitas pelo Ligue 180, na Delegacia da Mulher mais próxima ou nas delegacias de polícia, nos
municípios que não têm unidade especializada. A Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso de Joinville fica na rua Doutor
Plácido Olímpio de Oliveira, 843, bairro Bucarein.

Paulo Júnior

Acesse no site de origem: Serviço lançado pelo Judiciário auxilia mulheres contra a violência em Joinville (Notícias do Dia – 11/04/2015)