Sete casos de feminicídio que chocaram o Rio (O Globo – 27/06/2017)

O jornal o Globo reunião em uma galeria de fotos sete casos marcantes de feminicídio que ocorreram no estado do Rio de Janeiro

Ângela Diniz e Doca Street

A socialite Ângela Diniz, morta por Doca Street em 1976: no primeiro julgamento, assassino foi condenado a dois anos porque jurados entenderam que ele agiu “em legítima defesa da honra”Foto: Terceiro / Reprodução (11/06/1973)

A socialite Ângela Diniz, morta por Doca Street em 1976: no primeiro julgamento, assassino foi condenado a dois anos porque jurados entenderam que ele agiu “em legítima defesa da honra” (Foto: Terceiro / Reprodução 11/06/1973)

Um crime passional em Búzios abalou a sociedade brasileira no penúltimo dia de 1976. No início da noite de 30 de dezembro, Doca Street, de 40 anos, matou com quatro tiros de pistola Ângela Diniz, com quem vivia havia apenas três meses. Ela, contaram os amigos, pretendia se separar de Doca, por não suportar o ciúme doentio do companheiro.

Cláudia Lessin Rodrigues

Cláudia Lessin Rodrigues foi morta aos 21 anos Foto: Álbum de família

Cláudia Lessin Rodrigues foi morta aos 21 anos (Foto: Álbum de família)

Em julho de 1977, Cláudia Lessin Rodrigues, irmã da atriz Márcia Rodrigues, foi esganada, violentada e espancada por Michel Frank, filho do sócio da fábrica de relógios Mondaine; e Georges Kour, badalado cabeleireiro com salão no hotel Méridien. Em 1986, Michel foi assassinado na Suíça após discutir com casal. Já Kour vive em São Paulo.

Aída Curi

Aída: queda do 12º andar de prédio na Atlântica Foto: Agência O Globo (17/07/1958)

Aída: queda do 12º andar de prédio na Atlântica (Foto: Agência O Globo 17/07/1958)

Em julho de 1958, Aída Curi foi jogada do terraço do Edifício Rio Nobre, em Copacabana. Havia marcas de dentes nos seus seios. Ela estava com Cássio e Ronaldo. A Justiça concluiu que ela foi morta por Cássio, que era menor. Ronaldo foi condenado a 37 anos de prisão, e o porteiro João, a 30 anos.

Mônica Granuzzo

Mônica Granuzzo: crime ocorreu em junho de 85 Foto: Arquivo

Mônica Granuzzo: crime ocorreu em junho de 85 (Foto: Arquivo)

Em Junho de 1985, Mônica Granuzzo, de 14 anos, foi jogada de um prédio da Lagoa por Ricardo Peixoto Sampaio, que a jovem conhecera na véspera, numa danceteria. Depois do crime, ele foi para uma festa junina do Colégio Santo Inácio encontrar os amigos Alfredo Patti do Amaral e Renato Orlando Costa. O trio jogou o corpo dela na Vista Chinesa.

Daniella Perez

Daniella Perez. O corpo da atriz foi encontrado com 16 perfurações, oito delas no coração Foto: Paulo R. Fonseca (08/01/1991)

O corpo da atriz foi encontrado com 16 perfurações, oito delas no coração (Foto: Paulo R. Fonseca 08/01/1991)

Em dezembro de 1992, a atriz Daniella Perez foi encontrada morta num matagal na Barra da Tijuca, com 16 perfurações. Foi assassinada por Guilherme de Pádua, seu par romântico na novela “De corpo e alma”, da TV Globo. O crime teve participação da mulher do ator, Paula Thomaz, que estava grávida de quatro meses.

Amanda Bueno

A dançarina Amanda Moura: assassinada dentro de casa na Baixada Fluminense Foto: Divulgação

A dançarina Amanda Bueno: assassinada dentro de casa na Baixada Fluminense (Foto: Divulgação)

Em abril de 2015, a dançarina de funk Cícera Alves de Sena, conhecida como Amanda Bueno, foi morta por Milton Severiano Vieira, o Miltinho da Van, na Baixada, com tiros de pistola e de espingarda, calibre 12mm, na cabeça. Ela tinha ficado noiva de Milton quatro dias antes do crime. Ele foi condenado a mais de 40 anos de prisão.

Nathalie Rios Motta Salles

Nathalie Rios acreditava que o ex-namorado iria assumir filho que a farmacêutica esperava dele Foto: Divulgação/reprodução Facebook

Nathalie Rios acreditava que o ex-namorado iria assumir filho que a farmacêutica esperava dele (Foto: Divulgação/reprodução Facebook)

Sumida desde o último dia 22, a empresária Nathalie Rios Motta Salles, grávida de três meses, foi morta pelo ex-namorado, o dentista Thiago Medeiros. O corpo foi encontrado carbonizado em Vassouras, onde a família de Medeiros mora. Ele, que mora em Botafogo, foi preso no domingo. Noivo de médica, ele teria pedido que a empresária fizesse aborto.

Acesse no site de origem: Sete casos de feminicídio que chocaram o Rio (O Globo – 27/06/2017)