Sob a sombra da maternidade: gravidez, ideação suicida e violência por parceiro íntimo, por Mariana de Oliveira Fonseca-Machado e outros

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Autores: Mariana de Oliveira Fonseca-Machado (1), Lisiane Camargo Alves (2), Vanderlei José Haas (3), Juliana Cristina dos Santos Monteiro (2) e Flávia Gomes-Sponholz (2)

(1) Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Enfermagem, São Carlos (SP). Correspondência: mafonseca.machado@gmail.com
(2) Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto (SP)
(3) Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Programa de Pós-Graduação em Atenção à Saúde, Uberaba (MG)

Objetivo. Identificar a associação entre violência por parceiro íntimo e indicativo de ideação
suicida durante a atual gestação.

Métodos. Estudo observacional e transversal desenvolvido com 358 gestantes selecionadas por amostragem aleatória sistemática em Ribeirão Preto (SP), Brasil. A Escala de Ideação Suicida de Beck e uma versão adaptada do instrumento usado no World Health Organization Multi-country Study on Women’s Health and Domestic Violence foram utilizadas para identificar o indicativo de ideação suicida e os atos de violência psicológica, física e sexual perpetrados pelo parceiro íntimo durante a atual gestação. Utilizou-se a regressão logística múltipla para obter razões de chances (odds ratios) de prevalência ajustadas, com intervalo de confiança de 95%.

Resultados. A prevalência do indicativo de ideação suicida foi de 7,8%. Dentre as participantes, 17,6% estiveram em situação de violência por parceiro íntimo durante a atual gestação. Destas, 95,2% reportaram ter sofrido violência psicológica, 36,5% violência física e 1,6% violência sexual. A análise de regressão logística múltipla indicou que as mulheres vítimas de violência tiveram 6,29 vezes mais chance de apresentar indicativo de ideação suicida.

Conclusões. É preciso conscientizar os formuladores de políticas e os prestadores de cuidados acerca do impacto da violência por parceiro íntimo, inclusive em termos de ideação suicida, especialmente durante a gravidez. A adoção de medidas simples, como as escalas utilizadas no presente estudo, pode facilitar o dimensionamento desse problema nos serviços de saúde.

Originalmente publicado como: Fonseca-Machado MO, Alves LC, Haas VJ, Monteiro JCS, Gomes-Sponholz F. Sob a sombra da maternidade: gravidez, ideação suicida e violência por parceiro íntimo. Rev Panam Salud Publica. 2015;37(4/5):258–64.

Acesse o artigo na íntegra em pdf (321 KB): Sob a sombra da maternidade: gravidez, ideação suicida e violência por parceiro íntimo, por Mariana de Oliveira Fonseca-Machado e outros