Taboão tem seis mil processos em curso de violência contra a mulher (O Taboanense – 11/08/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Taboão da Serra comemorou na última sexta-feira, dia 7, nove anos da lei Maria da Penha, sancionada em 7 de agosto de 2006. A Coordenadoria dos Direitos da Mulher e da Secretaria de Saúde promoveram, no Cemur, um evento com palestras voltadas ao tema. As conferências foram ministradas pelo vereador do município de São Paulo, Eduardo Tuma, e pela promotora de Justiça e coordenadora do Núcleo de Combate à Violência Doméstica em Taboão da Serra, do Ministério Público do Estado de São Paulo, Maria Gabriela Prado Mansur, do projeto “Eles x Elas”.

Segundo dados do Núcleo de Combate à Violência Doméstica, Taboão da Serra tem atualmente seis mil processos em curso de violência contra a mulher. Por mês o município recebe entre 90 e 100 denúncias de violência e concede cerca de 150 medidas protetivas. A promotora Gabriela Mansur, credita esse número à lei, que de acordo com ela, possibilitou que as mulheres denunciassem as agressões. Antes da lei, havia apenas 30 processos.

“A Lei Maria da Penha veio para modificar uma realidade social, ela deu coragem para aquela mulher dizer que apanha do marido, que é agredida. Com orientação e a efetividade da Lei Maria da Penha, temos hoje, seis mil processos em curso, por mês nós oferecemos de 90 a 100 denúncias de violência contra a mulher e 150 medidas protetivas no combate de violência contra mulher”, comentou a promotora.

A secretária de Saúde, Raquel Zaicaner, também comentou a importância da Lei Maria da Penha no combate à violência contra a mulher. “A Lei Maria da Penha nos possibilitou tirar a mordaça da boca, a falar que o problema existe. O primeiro desafio é romper com o silêncio e pedir ajuda”, disse.

Em Taboão da Serra a lei tem garantido bons resultados, é o que afirma a coordenadora dos  Direitos da Mulher no município, Suely Amoedo. “Violência doméstica é um tema que precisa ser discutido, precisa ser falado. Temos que denunciar a violência doméstica. Essa lei é valiosa e temos alcançado bons resultados aqui em Taboão da Serra”, declarou Suely.

Estiveram presentes no evento o Laércio Lopes (vice-prefeito), delegada Aparecida Alves da Silva (Delegacia da Mulher de Taboão), vereador José Aparecido Alves (presidente da Câmara de Taboão), o corpo de bailado de Barueri, com o grupo Meninas de Expressão e Sarau Ricardi.

Rose Santana

Acesse no site de origem: Taboão tem seis mil processos em curso de violência contra a mulher (O Taboanense – 11/08/2015)