Tribunal do Júri condena réu pelo assassinato da companheira grávida de oito meses (TJSC – 20/11/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

O Tribunal do Júri da comarca de Tubarão, em sessão realizada nesta semana sob a presidência do juiz Elleston Lissandro Canali, condenou um homem à pena de reclusão de 18 anos, um mês e 23 dias, pela prática dos crimes de homicídio e aborto contra sua então companheira.

O fato ocorreu na madrugada de 13 de junho de 2014, na Estrada Geral da Madre, no interior do município. Segundo se apurou, o casal vivia uma relação conturbada e, naquela noite, o script não foi diferente. Após discussão, o homem saiu de porta afora para não voltar. A mulher, mesmo grávida de oito meses, esperou pouco tempo para também ir para a rua, em busca do companheiro.

Eles se encontraram na Madre e voltaram a bater boca. Foi quando o réu agiu impulsivamente para esganar a vítima; ao acreditar que ela já estava morta, buscou ocultar o corpo atirando-o em um riacho. Ele se dirigiu para a casa de sua mãe e lá relatou o crime. Instado a entregar-se, foi até a delegacia e confessou o crime. Levou a polícia ao local dos fatos, onde o corpo foi encontrado. O feto também não suportou as agressões.

Perícia posterior apontou que a morte ocorreu por asfixia mecânica motivada por afogamento e não esganadura. Ao dosar a pena, o juiz Elleston, presidente do júri, observou que o acusado costumava manter relacionamentos conturbados com suas companheiras, chegando a ser condenado por violência doméstica, além de figurar como réu em outras ações penais ainda em curso, todas para apurar atos de violência doméstica. Cabe recurso ao Tribunal de Justiça (Autos n. 0004713-56.2014.8.24.0075).

Responsável: Ângelo Medeiros
Acesse no site de origem: Tribunal do Júri condena réu pelo assassinato da companheira grávida de oito meses (TJSC – 20/11/2015)