Uberlândia registra redução de mais de 40% em casos de estupro, diz PM (G1/Triângulo Mineiro – 15/09/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Dados referentes a 2014 e 2015 mostram queda de até 43,3% nos crimes. ONG alerta que relação não consentida com parceiro também é estupro

De janeiro a agosto deste ano foram registrados 17 casos de estupro em Uberlândia, de acordo com o levantamento feito pela Polícia Militar (PM). O número representa uma queda de 43,3% ante o mesmo período de 2014, quando ocorreram 30 casos. Os crimes de estupro de vulnerável também apresentaram redução. Foram 57 registros no ano passado e 46 em 2015, diminuição de 19,2%.

A delegada responsável pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, Juliana Machado Acipreste, disse que o crime de estupro é um dos mais difíceis de ser denunciados. “A vítima tem que acionar a polícia para fazer o registro do boletim e depois passar por exame médico. Geralmente, ela repete a mesma versão várias vezes, o que acaba sendo um constrangimento que inibe a denúncia”, afirmou.

Outra dificuldade que envolve os casos de estupro está relacionada às investigações. É que se o crime não for denunciado de imediato, para ser feito o flagrante, muitas evidências se perdem e comprometem as chances de localizar e incriminar o autor.

A psicóloga e presidente da ONG SOS Mulher e Família de Uberlândia, Cláudia Regina Braga da Cruz, ressaltou que a relação sexual sem o consentimento de uma das partes também configura estupro. “Essas situações chegam para nós e, na maioria dos casos, as mulheres nem sabem que são consideradas como estupro. O atendimento que fazemos visa orientar a respeito da questão, seja no cunho social, psicológico ou jurídico, e acolher o sofrimento das vítimas”, afirmou.

Segundo Cláudia, as vítimas de estupro ficam com a autoestima baixa e emocionalmente abaladas, o que pode ocasionar quadros de depressão. Por isso, o atendimento psicológico é importante no processo de recuperação e deve ser feito de forma continuada.

A organização realiza atendimentos na cidade com o objetivo de orientar e encaminhar pessoas vítimas de violência doméstica, conjugal e familiar, seja física ou sexual. Os casos atendidos ou encaminhados pela ONG são mantidos em sigilo. A sede da SOS Mulher e Família de Uberlândia fica na Rua Feliciano de Morais, 62, no Bairro Aparecida.

Caroline Aleixo

Acesse no site de origem: Uberlândia registra redução de mais de 40% em casos de estupro, diz PM (G1/Triângulo Mineiro – 15/09/2015)