Um estupro a cada 10 minutos no Brasil, aponta Anuário Brasileiro de Segurança Pública

O Brasil registrou 50.320 estupros em 2013, uma média de quase seis a cada hora, um a cada 10 minutos.  No mesmo ano, também foram registradas 5.931 tentativas de estupro no País. Os dados são do 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública divulgado nesta terça-feira (11) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Leia também:
Nota da ministra Eleonora Menicucci sobre dados de estupro do Anuário Brasileiro de Segurança Pública (SPM – 11/11/2014)
Brasil tem 50 mil casos de estupros por ano; Roraima lidera ranking (UOL Notícias – 11/11/2014)

Em comparação com o total de 2012, quando foram registrados 50.226 estupros no Brasil, ocorreu um ligeiro aumento de 0,1%. Naquele ano, do total de estupros, 315 foram cometidos por menores de idade. Roraima foi o Estado com a maior taxa de estupros para cada 100 mil habitantes, atingindo 66,4, seguido pelo Mato Grosso do Sul, com 48,7, e por Rondônia, com 48,1. A menor taxa foi registrada em Goiás, de 6,8.

Segundo pesquisas internacionais, apenas 35% das vítimas de estupro costumam denunciar o crime à Polícia. Isso significa que é possível que no Brasil tenham sido cometidos 143 mil estupros em 2013, de acordo com estimativas do Anuário, o que elevaria o número de estupros para um a cada 4 minutos.

É importante lembrar que desde 2009, com a alteração no Código Penal, além da conjunção carnal, atos libidinosos e atentados violentos ao pudor também passaram a configurar o crime de estupro.

Outros dados

O estudo também revela que 4.580 mulheres foram mortas por agressão em 2013, o que representa 8,4% de um total de 54.269 vítimas de homicídio por agressão, entre homens e mulheres, ao longo do ano no Brasil.

Além do levantamento dos dados da Segurança Pública, o Anuário apresenta os resultados do Índice de Confiança na Justiça (ICJ Brasil), que ouviu 2.293 pessoas. De acordo com o estudo, a Polícia Militar é a mais acionada pelos entrevistados (mais de 73%) para solucionar algum crime. Dentre estes, 5% disseram chamar a Polícia para denunciar a violência contra a mulher no âmbito doméstico, tentativa de estupro, assédio moral, pedofilia e atentado ao pudor.

>> Confira 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública na íntegra