Violência contra a mulher em São Gabriel aumentou nos últimos anos (Ibest – 11/12/2015)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Apenas em 11 meses, o número de registros de violência contra a mulher já é maior que em 2014. Foram 157 registros até novembro contra 145 de 2014.

O Dia Internacional para a não-Violência Contra as Mulheres é comemorado anualmente em 25 de novembro, a partir daí é realizado o 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, com o objetivo de alertar a sociedade sobre os casos de violência e maus tratos contra as mulheres. A violência física, psicológica e o assédio sexual são alguns exemplos desses maus tratos.

Vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (Comdem), Mirian Bonilha (Foto: do Idest, Dayane Amaral)

Vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (Comdem), Mirian Bonilha (Foto: do Idest, Dayane Amaral)

Em São Gabriel do Oeste, de 2012 a 2015 foram registradas 671 ocorrências de violência contra a mulher. Em 2014 foram 145 boletins de ocorrência, e agora em 2015 foram 157 casos de agressões, isso até o mês de novembro.

De acordo com as estatísticas, uma em cada três mulheres sofre de violência doméstica. A violência contra a mulher é uma questão social e de saúde pública, não distingue cor, classe econômica ou raça, está presente em todo o mundo.

Em entrevista ao site Idest, a vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres (Comdem), Mirian Bonilha, relatou que talvez por falta de informação, muitas mulheres desconhecem sobre os direitos que tem, sobre o atendimento que lhe é concedido pelo órgão publico.

Miriam revelou que foi realizada uma pesquisa com cerca de 500 mulheres, onde foram realizadas perguntas simples e de fácil compreensão, para saber qual perfil das moradoras de São Gabriel, o que revelou que a grande maioria já sofreu algum tipo de violência em casa e/ou na rua.

Dentre ações realizadas durante os 16 dias de ativismo, foram intensificadas as de divulgação, informado que existe um Conselho dos Direitos das Mulheres, Coordenadoria e uma rede de proteção em São Gabriel. Foi realizado entrevista nas rádios locais para esclarecer quanto a algumas dúvidas.

“O ideal ao ligar para 190 e pedir socorro, é ligar também para 180, pois fica registrado na Central de Atendimento à Mulher, e sempre que der, vá a Delegacia de Polícia Civil acompanhada de alguém de sua confiança, e depois do boletim de ocorrência existe um acompanhamento psicológico, psicossocial que vai poder orientar e aconselhar. O endereço do Creas é rua José Ferreira Rosa, 833, (rua da escola São Gabriel), o telefone é o 3295.2211”. (fonte: idest.com.br)

Dayane Amaral

Acesse no site de origem: Violência contra a mulher em São Gabriel aumentou nos últimos anos (Ibest – 11/12/2015)